Capa / Comportamento / A Esposa do Pastor – Parte 1

A Esposa do Pastor – Parte 1

Há alguns dias atrás, recebemos algumas perguntas de uma de nossas leitoras, sobre o ministério da esposa de pastor. Atualmente ela namora um teologando, mas não tem total clareza das atribuições de uma esposa de pastor e das possibilidades de atuação profissional desta.

Achei ótimo que esta moça esteja interessada em conhecer bem o ministério que assumirá ao casar e se tornar uma esposa de pastor. É extremamente necessário que todas as mulheres tenham clareza do seu papel no ministério que Deus nos confiou, principalmente aquelas que são auxiliadoras idôneas de um pastor.

Para responder aos questionamentos desta querida irmã, resolvi fazer contato com algumas amigas, esposas de pastores, que gentilmente aceitaram responder algumas perguntas ao Mulher Adventista:

Rejane Godinho (Professora e Tradutora), esposa do Pr. Paulo Godinho (Departamental de Mipes e Escola SAbatina da UEB – Brasil)

Mulher Adventista: Rejane, como é a rotina de uma esposa de pastor distrital e quais as atribuições desta?
Rejane: A esposa de pastor mantém ordenada a vida no lar, no trabalho, nos estudos como as outras mulheres. Na igreja, ela precisa sondar quais são as necessidades da igreja e o que esperam dela. As igrejas gostam que a esposa de pastor apoie seus projetos. Às vezes somente querem a presença dela nos eventos, assistindo. Às vezes, lhe pediram conselho. Se tem filhos pequenos, deve escolher uma escola sabatina para frequentar e acompanhar o esposo nas outras igrejas nos demais horários de culto e em algumas visitas aos lares, quando possível. Manter o culto familiar vivo e ativo é primordial, bem como a devoção pessoal diária.

Kellyane Feitosa Link (Estudante – Serviço Social), esposa do Pr. Edegar Link (Estudante – Mestrado em Teologia – Alemanha)

Mulher Adventista: Kellyane, como é ser esposa de pastor em outro país?
Kellyane: Ser esposa de pastor na europa, especialmente Alemanha, é estar em contato com outras culturas, conhecer uma nova família adventista, com os mesmos príncipios, mas com costumes e valores culturais diferentes dos que cultivamos durante anos em nosso país.
É também uma oportunidade para desenvolver tolerância, respeito, aceitação e integra-se na atual comunidade sem perder a própria identidade, mantendo o que é bom e absorvendo tudo que é proveitoso para desenvolvimento mental, físico e espiritual.
Meu esposo veio para Alemanha ainda solteiro como missionário, num projeto que durou 2 anos. Na ocasião trabalhou com uma igreja de fala portuguesa e uma hispana, depois nos casamos e aceitando um chamado para trabalhar com duas comunidades hispanas fomos para o norte da Suécia, onde servimos por 1 ano.
De volta a Berlim, meu esposo recebeu duas igrejas estrangeiras (de fala portuguesa e hispana) para cuidar. Apoiamos essas igrejas durante dois anos, quando recebemos um incentivo da associação para que ele viesse para Universidade Adventista de Friedensau cursar o mestrado em teologia, tendo em vista o interesse de que permaneçamos na Alemanha por muitos anos.
Para mim é uma alegria poder participar do ministério do meu esposo. Nesse período pude perceber algumas diferenças relacionadas a forma como os irmãos vêem a família pastoral e as expectativas que alimentam. O povo brasileiro e hispano têm uma têndencia a comparar a atual com a esposa do pastor anterior, esperam que as esposas de pastores se envolvam no departamento infantil, toquem piano e de preferência sejam formadas em pedagogia. Esse geralmente é o ideal para uma esposa de pastor, no entanto o importante é não deixar se afetar por esses esteriótipos, e lembrar que somos mulheres de pastores, mas com características e personalidades próprias, e que Deus utiliza-nos como somos para o crescimento de sua obra.
Entre o povo alemão existe uma postura mais compreensiva. A esposa de pastor é vista com uma mulher como qualquer outra, não existem as cobranças típicas citadas acima. Normalmente as esposas dedicam-se a sua profissão, os filhos e ajudam o esposo nos bastidores, quando há tempo participam de reuniões de oração ou lideram algum departamento da igreja.
Aqui não esperam que os pastores sejam super-homens, nem que as esposas sejam mulheres-maravilhas.
Como filhas de Deus e mulheres de pastores devemos desenvolver os dons que o Senhor nos concedeu sem se cobrar pelo fato de não possuirmos este ou aquele dom. Precisamos manter nosso relacionamento com Deus, ser a auxiliadora que os nossos esposos precisam, lembrar que todos os privilégios e desafios de um ministério pastoral são automaticamente extensivos a esposa também, que seremos mulheres de poucas amizades e que nessa vida estaremos sempre em constantes mudanças. Às vezes será necessário abrir mão de algumas coisas ou adiar outras, todavia quando fazemos a vontade de Deus tudo coopera para o bem[Romanos 8:28].

Mulher Adventista: Que possibilidades há de ter uma profissão e até uma carreira profissional quando o esposo é enviado para um país diferente?
Kellyane: As possibilidades para desempenhar uma profissão e crescer profissionalmente em outro país dependem muito da formação da pessoa e os idiomas que domina.
Não posso falar da Europa como todo, conheço a realidade de alguns países vizinhos, como Holanda e Suécia, onde é possível conseguir trabalho em algumas áreas somente com inglês fluente e boa formação na área pretendida, não sendo assim uma condição prévia o domínio da língua local.
Na Alemanha é imprescindível o domínio da língua alemã para conseguir um bom emprego. Em todos os países da União Européia as pessoas falam inglês, mas a preferência será sempre para aqueles que mostram interesse na cultura no país e se esforçam para aprender o idioma local.
Por parte da igreja não existe nenhum acordo ou promessa no sentido de que ao chegarem aqui as esposas de pastores terão emprego na ou fora da obra, o que existe é incentivo para que ambos se integrem na sociedade, aprendam o idioma e a esposa lute por seus objetivos. Claro, que se houver vaga e a esposa do pastor possuir o perfil desejado será admitida, mas o que não há são privilégios por simplesmente ser esposa de pastor.
Como mulher que deseja se realizar profissionalmente e voltar ao mercado de trabalho a minha dica é: Aproveitem todas oportunidades para crescer como pessoa, ocupe o tempo com atividades que desenvolam o intelecto e a realizem como mulher e profissional. Pedir a orientação de Deus na escolha ou redirecionamento da profissão é algo que todas nós deveríamos fazer, isso é sábio.

Elkeane Aragão (Webdesigner), esposa do Pr. Luís Gonçalves (Departamental de Evangelismo da Divisão Sul-americana)

Mulher Adventista: De que forma(s) é possível conciliar o ministério de esposa de pastor com uma carreira profissional? Você o faz? Como?
Elkeane: Na minha opinião, não dá pra separar a carreira profissional da missão e do chamado de ser uma esposa de pastor, ou seja, a escolha da profissão deve ser pensada priorizando o chamado. Se não há forma de conciliar a profissão com o chamado do namorado/noivo, então deve se pensar muito antes de prosseguir com os planos de casamento. É algo duro de se dizer, mas é melhor evitar as provas, quando a pessoa se conhece bem e sabe que não será feliz sacrificando a carreira profissional. Quando o marido sente o chamado para a formação pastoral, o certo seria ponderar se o chamado dele não dará conflito com a profissão da esposa. Os dois têm que ser chamados. No meu caso, por amar o evangelismo e o evangelista, optei pela faculdade de jornalismo, mas já trabalhava como webdesigner voluntária e as duas profissões são facilmente aplicadas à obra de Deus. Atualmente faço parte da equipe de internet da DSA, trabalho no portaladventista.org e na criação de sites de campanhas evangelísticas e de departamentos da igreja. Se tivesse que trabalhar com jornalismo direto, teria tudo a ver com evangelismo, cujo propósito é de noticiar acontecimentos e as boas novas do evangelho. Na verdade sinto que foi exatamente para isso que Deus colocou no meu coração estudar jornalismo e trabalhar com desenvolvimento de sites, costumo dizer que pensando nisso, Ele planejou meu casamento com o Luís.

Mulher Adventista: Quais as atribuições da esposa de um pastor departamental? Como ela participa do ministério do esposo?
Elkeane: Como o departamental geralmente viaja muito, seria interessante que ela acompanhasse em suas viagens, caso os filhos já forem grandes. Se ainda são pequenos, é mais conveniente ficar em casa e cuidar das crianças, ensinando-os a amar o ministério do pai apesar da distância. Ela também pode ministrar palestras, treinamentos  e auxiliar as igrejas da região onde mora, assim como a esposa de distrital faz. 
 
Mulher Adventista: Que funções ou cargos uma esposa de pastor pode assumir na obra?
Elkeane: Quanto aos cargos na obra, tenho visto, sim departamentais que são esposas de pastores e que assume os departamentos do Ministérios da Mulher e Ministérios da Criança e Adolescente. Não sei de casos em outros departamentos. Outras funções como secretária de departamento ou escola, professora, diretora de escola, psicopedagoga, etc.

Related Posts with Thumbnails

11 comentários

  1. Olá Karyne!
    Muito legal essa matéria. Não sou esposa de pastor, mas gostei bastante de saber a posição delas.
    É realmente necessário que as jovens “aspirantes a esposa de pastor” saibam como poderão ser úteis no ministério, pois podem ser grandemente usadas pelo Senhor, basta se deixarem usar e almejarem isso.
    Beijos a todas que participaram.

  2. Ei Cida, que bom que gostou!!

    Oremos para que todas as jovens que futuramente assumirão a função de esposas de pastor tenham esse mesmo discernimentos.

    Muitas esposas são responsáveis pelo sucesso do ministério do marido, mas muitas são responsáveis pelo fracasso e por limitar o ministério do esposo por seu mal exemplo no que tange, principalmente, à modéstia cristã e aos cuidados da família!

    Deus às abençoe!!

  3. Estava aqui lendo o depoimento das outras esposas de pastor e vejo como algo enriquecedor essa troca de experiência. Saber como minhas colegas de ministério lidam com o desafios diários, com as expectativas que são criadas em torno de nós, a escolha com relação a carreira profissional, educação dos filhos, admnistração do tempo… e como a Karyne disse muitas esposas são responsáveis pelo sucesso ou não do esposo.
    Que Deus nos conceda sabedoria!

  4. Amei a materia sobre as mulheres de pastores, sabemos de sua missao e dedicaçao a esse ministerio.que DEUS as abençoe. gostaria de pedir que se voce tiver alguma mensagem para homenagear os pastores. no proximo sabado é dia do pastor e gostaria de ter algo especial se possivel em power point. OBRIGADA, ADELMA.

  5. Oii Karyne!!
    Bom, primeiramente gostaria de dizer que amei essa matéria, até pq sou uma “aspirante a esposa de pastor” hehehe e sempre leio tudo o que posso p/ entender o papel da esposa no Ministério.
    Ler a vida real dessas três esposas, me fez repensar que o nosso papel como esposa de pastor é muito importante. Moro no Sul (Curitiba) e, realmente, suprir as expectativas da igreja nem sempre é fácil (vejo pelas esposas que conheço). Mas acredito plenamente que devemos nos entregar nas mãos de Deus, dia após dia.. pois se Ele nos chamou p/ essa obra, Ele irá nos usar!
    E, em segundo, gostaria de agradecer pela preocupação que vocês tem com as futuras esposas de pastor! É um chamado muito especial e ver esse apoio faz toda a diferença p/ todas nós! Muito obrigada!!
    Que Deus nos abençõe!
    Bjsss

  6. Gostei muito desta matéria,me ajudou a solucionar algumas das duvidas que tinha!Eu sempre quiz ser esposa de Pastor,mas agora, tenho certeza que este e o sonho de Deus para minha vida!esposa de Pastor pode ser Medica? Parabéns pela iniciativa! obrigada… ;)

  7. Bom Dia!!!!!!!!!
    Atualmente namoro um pastor, ele pensa em se casar, já até me falou varias vezes, é um bom homem, mas eu realmente não sei se posso atender as espectativa que se espera da mulher de pastor, nunca me vi nesta posição, não sou muito digamos que “talentosa”, sou timida, ja fui algumas vezes na plata forma, mas sempre fico muito nervosa e tenho que repetir pra mim mesmo, diversas vezes o que vou falar, pra que não erre, e não queria prejudica-lo, confesso que já andei pensando em terminar e tenho que decidir o mais rapido possivel, pois se continuar este relacionamento vou me sentir consta
    ntemente uma inutil,parece um motivo bobo, mas isso me encomoda muito, e sei que é importante.Ja falei com ele sobre isso, ele claro me tranquiliza, mas ele pode até não se importar hoje, mas amanhã sei que vai.

  8. Olá!
    Sou “aspirante a esposa de pastor’, meu noivo vai começar o curso de teologia e estamos muito felizes pq esse sempre foi um sonho nosso! Afinal, Deus também me fez um chamado! Sou estudante de nutrição e escolhi minha profissão pensando justamente em contribuir com o ministério dele, em auxiliar as ovelhas no que diz respeito á saúde e a temperança, temas bastante importantes para os dias em que vivemos!
    Olha Cristiane, entendo sua preocupação! Mas creio que uma esposa de pastor não precisa necessariamente estar na frente da igreja pra ser atuante! Quem sabe o seu talento não é o de aconselhar e ser amiga? São talentos tbém muito importantes na esposa de pastor!
    Bjos a todas!

  9. Olá! Sinceramente, gostei das resposta “A Esposa do Pastor – Parte 1″. Mas a minha pergunta ou a minha questão é: Qual é o Papael da Esposa do Pastor na Igreja? – Como conciliar os deveres pessoas com o ministério.

  10. Vou ser futura esposa de Pastor. E eu ainda não sei qual a melhor profissão. Estou em dúvida entre psicologia e licenciatura em música, penso nas mudanças de cidades frequentes de 4 em 4 anos, como conciliar sua profissão com o trabalho de Deus?! Alguém me ajuda?! Desde já agradeço.

  11. Sempre quis ser uma M.M!Acho que até mesmo para meus filhos será uma ótima educação tanto espiritual como para sua vida cotidiana.
    Vô começar este ano fazer publicidade. Gosto muito dessa area principalmente na area de fotografia.
    Não sei qual será o esposo que Deus tem para mim. Entrego nas mãos Dele.
    Tenho pensado sempre em um rapaz. Ele realmente não sai de minha mente. Ele faz teologia, aqui na faculdade. Mas ele nem imagina. Apenas somos amigos, não tão amigos. Ele é um rapaz muito especial e dedicado a obra. Queria saber como faço para conquistá-lo. Minhas oraçoes são constantes sobre ele para Deus. Queria uma ajuda.

Scroll To Top