O lugar dos sonhos

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

“E as doze portas eram doze pérolas; cada uma das portas era uma pérola; e a praça da cidade de ouro puro, como vidro transparente.” Apocalipse 21:21

Era uma manhã gelada de inverno. Lá estávamos nós, na fila do ônibus. Havíamos acabado de chegar no aeroporto, e aguardávamos para embarcar no ônibus que nos levaria até o nosso almejado destino.

Naquela manhã acordamos muito cedo para fazer a viagem. Por isso, meu esposo se acomodou ao entrar no ônibus e logo dormiu. Eu também estava sonolenta, mas por outro lado muito agitada. Mal podia acreditar que estava indo para aquele lugar. Cerca de uma hora depois, avistei ao longe uma imagem familiar. Meu coração acelerou e senti uma lágrima escorrer. Sim, eu estava emocionada. Desde a infância eu sonhara em conhecer Paris. E agora, avistava o topo da torre Eiffel. Quase não podia me conter. Olhei para o lado muito animada para mostrar ao meu esposo que já podíamos ver a cidade, mas ele estava em um sono profundo que sequer me ouviu.

Aquele foi um dia incrível para mim. Um dos dias mais incríveis de minha vida. Tudo era apaixonante, e mesmo andando dezenas de quilômetros a pé pela cidade, com uma mochila nas costas, eu não me importava com sono, cansaço ou dor nos pés. Aquele era o lugar dos meus sonhos, e eu queria aproveitar cada segundo por lá.

Recentemente, me lembrei deste dia e da lágrima que escorreu dos olhos que brilhavam de alegria. Comecei a pensar no céu. Assim como Paris, o Céu é um lugar do qual eu já ouvi muito falar. Contudo, diferente de Paris, eu nunca vi fotografias do Céu. Eu posso ler as descrições bíblicas sobre o Céu, mas minha mente é tão limitada que eu não consigo imaginar os portais de pérolas, a cidade de ouro, o mar de vidro… Então leio as descrições do Céu deixadas nos escritos do Espírito de Profecia. As imagem continuam sendo muito para minha mente finita. Uma árvore que parece ser duas, mas é uma só, e que um rio passa no meio entre as duas partes do seu tronco… por mais que eu tente, me sinto muito limitada para compreender e tentar visualizar. Mas mesmo em minha limitação, consigo ver o Céu como um lugar fantástico, sem igual.

Pensei então na emoção que senti ao chegar em Paris, e quão emocionante será chegar no Céu. Sem dúvida será um dia sem comparação. Mas, essa emoção será diretamente proporcional ao quanto eu sonho com este lugar. Eu me emocionei ao chegar em Paris pois era o lugar dos meus sonhos. Já meu esposo, não teve a mesma experiência. Apesar de gostar de conhecer a cidade, ela não significava o mesmo para ele. O que o Céu significa para mim? O quanto sonho em estar lá? Este sonhar e desejar o céu é que torna não apenas a chegada nele um momento feliz, mas também dá sentido a todo percurso que fazemos até lá. Podemos estar atentos e animados pelo caminho, ainda que já cansados da viagem e sonolentos, mas como queremos muito chegar lá, não caímos em um sono profundo. Por outro lado, podemos estar tão cansados e a expectativa pode não ser tão grande, que corremos o risco de dormir profundamente no caminho e não estarmos apercebidos dos sinais que indica que está próximo o momento de entrarmos lá.

Começo a pensar que precisamos sonhar mais com o Céu!

Os comentários foram encerrados, mas trackbacks e pingbacks estão abertos.