Santidade ao Senhor – é isso que você deseja?

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

Desde que este blog foi criado, por algumas vezes senti medo e desânimo. Isso porque Deus estava me ensinando coisas difíceis que meu próprio coração, por muito tempo foi resistente em compreender, e além de me ensinar, estava também me encarregando de passar esse conhecimento à diante.

A verdade presente não é compatível com a acomodação da nossa natureza. A verdade presente incomoda, revela nossa cegueira e nudez, e nos convida a uma vida nova, reavivada e reformada em Cristo Jesus. Tomar a cruz de Cristo não é apenas uma figura de linguagem bonita, mas o verdadeiro convite que Cristo faz a nós hoje. Talvez você já tenha se chateado com um sermão do tipo “curto e grosso”, onde suas falhas de caráter e maus hábitos pareciam estar sendo estampadas no púlpito. Talvez você tenha chamado o pregador de extremista, e desenvolvido alguma antipatia por ele. Eu sei o que é viver isso. Em minha adolescência fui muito incomodada por reformadores. Hoje me vejo fazendo parte de um time que deseja ver o povo de Deus preparado, santo, para viver a eternidade.

A meditação de hoje, para mim, foi como a voz de Deus dizendo que a mensagem de reavivamento e reforma deve ser pregada ainda que o discurso pareça duro demais. E deve ser pregada por mim, que vos escrevo, e deve ser aceita também por mim, quando pregada por outros servos de Deus.

Reflita no texto a seguir!

Duro é este discurso; quem o pode ouvir? João 6:60

Alguns professos seguidores de Cristo têm a tendência de dizer como os discípulos o fizeram em certa ocasião, ao ouvirem as severas verdades que saíram dos lábios do divino Mestre: “Duro é este discurso; quem o pode ouvir?” Muitos podem achar que o caminho seja estreito demais. Quando falamos em renúncia e sacrifício por amor a Cristo, acham que insistimos muito nesses pontos. Prefeririam nos ouvir falar da recompensa do cristão. Sabemos que os que são fiéis herdarão todas as coisas; porém, a grande questão é: “Quem suportará o dia da Sua vinda? E quem poderá subsistir quando Ele aparecer?” (Ml 3:2). Quem será considerado digno de receber a mui grande e preciosa recompensa a ser concedida aos vencedores? Aqueles que forem participantes dos sofrimentos de Cristo serão os que partilharão com Ele da Sua glória.

Sem santificação, diz-nos a Palavra de Deus, ninguém poderá ver o Senhor. Sem pureza de vida é impossível estarmos habilitados a morar com os santos e imaculados anjos, no puro e santo Céu. Nenhum pecado pode haver lá. Nenhuma impureza pode entrar pelos portais de pérola da cidade dourada de Deus. E a questão que compete a nós é: se nos afastamos de todo pecado e satisfazemos as condições que Deus nos propõe para que nos tornemos seus filhos e filhas. Ele requer de nós separação do mundo para que nos tornemos membros da família real. […]

Cremos, sem nenhuma dúvida, que Cristo está para vir em breve; e por assim crermos, sentimos a obrigação que está sobre nós de apelar a homens e mulheres que se preparem para a vinda do Filho do homem. […] Meu desejo é que estejamos entre aqueles que se prostrarão diante do trono de Deus, exclamando: “Digno é o Cordeiro que foi morto” (Ap 5:12). […]

Quando todos estivermos prontos, tendo vencido todo pecado, afastado toda iniquidade, estaremos em condições de receber o toque final da imortalidade. […]

Não será seguro esperar um tempo melhor por vir. Esse tempo é chamado hoje. Se alguém ouvir a Sua voz, não endureça o seu coração. Devemos atender hoje ao convite de misericórdia. Devemos reconhecer nosso orgulho, nossa insensatez, nossa vaidade e fazer uma inteira entrega do coração a Deus. Precisamos ir a ele com nossos talentos, toda a influência que temos e depositar tudo isso, sem reservas, aos pés dAquele que morreu na cruz do Calvário para nos redimir (Review and Herald, 12 de abril de 1870).

Fonte: Meditações Diárias, 2013, 1º de Fevereiro

2 Comentários


  1. Quando li essa mensagem, me veio a seguinte citação:
    “A maior necessidade do mundo hoje é a de homens,
    Homens que não se comprem nem se vendam,
    Homens que no íntimo da alma sejam verdadeiros e honestos,
    Homens que não temam chamar o pecado pelo seu nome exato,
    Homens cuja consciência seja tão fiel ao dever como a bússola o é ao pólo, Homens que permaneçam firmes pelo que é reto, ainda que caiam os céu” Ellen G. White.
    Deus espera isso de nós, precisamos nos abdicar de tudo que nos afasta da presença do Senhor não para ser salvo, mas porque já estamos salvos em Cristo Jesus.
    O meu desejo é que seu blog continue a trazer mensagens inspiradoras, e em muitos momentos “duras”, pois é assim que vemos quando nos encontramos distante da fonte da água da vida, que é Cristo Jesus.


  2. Que a Paz de Cristo nos envolva…
    Suportando-vos uns aos outros e perdoando-vos uns aos outros, se algum tiver queixa contra outro; assim como Cristo vos perdoou, assim fazei vós também. Col. 3:13.
    A religião de Jesus Cristo significa progresso; significa estar sempre avançando para cima, para uma norma de maior santidade e elevação. O cristão cujo coração foi tocado pela beleza do caráter de Cristo, deve pôr em prática aquilo que aprendeu na escola de Cristo. Cumpre-nos ser alunos aptos na escola de Cristo, aprendendo prontamente o que Ele nos ensina dia a dia. The Youth’s Instructor, 13 de setembro de 1894.
    Nunca poderemos atingir à perfeição de caráter, caso não ouçamos a voz de Deus e Lhe obedeçamos ao conselho. Estas instruções não se aplicam apenas aos que não têm tido provações a enfrentar no sentido de produzir desgostos para com seus irmãos, mas aos que têm sido ofendidos, que têm sofrido injustiças monetárias, reprovações e críticas, mal-entendidos e juízos errôneos. Estes não devem permitir que lhes entre ódio no coração ou que se levantem sentimentos amargos ao olharem para as pessoas que os ofenderam. …
    Como Cristo, perdoaremos a nossos inimigos, e buscaremos ocasiões de mostrar aos que nos magoaram que os amamos e, se nos fosse possível, lhes faríamos bem. … Se os que nos ofenderam continuam em sua atitude de fazer mal… devemos fazer esforços para nos reconciliarmos com os irmãos, seguindo o plano bíblico, assim como Cristo mesmo nos ensinou. Uma vez que os irmãos se recusem a reconciliar-se, não faleis deles então, nem lhes prejudiqueis a influência, mas deixai-os nas mãos de um justo Deus, que a todos julga retamente. … Os jovens podem professar grande amor à causa de Deus; mas enquanto não se reconciliam com os seus companheiros, não estão reconciliados com Deus. São esses… sentimentos egoístas que se nutrem, que excluem a bênção de Deus de nosso coração, de nosso lar. Flua o amor de Cristo no coração e transforme o caráter, do contrário não seremos filhos de Deus. The Youth’s Instructor, 13 de janeiro de 1898.
    Shalon…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.