Examinando as crenças

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

Apliquei-me a conhecer, e a investigar, e a buscar a sabedoria e meu juízo de tudo, e a conhecer que a perversidade é insensatez e a insensatez, loucura. Eclesiastes 7:25

Tem-me sido mostrado que muitos dos que professam a verdade presente não sabem o que crêem. Não compreendem as provas de sua fé. Não apreciam devidamente a obra para este tempo. Homens que agora pregam a outros, ao examinarem, quando chegar o tempo de angústia, a posição em que se encontram, verificarão que há muitas coisas para as quais não podem dar uma razão satisfatória. Até serem assim provados, desconheciam sua grande ignorância.

E há na igreja muitos que contam por certo que compreendem aquilo em que crêem, mas que, até surgir uma discussão, ignoram sua fraqueza. Quando separados dos da mesma fé, e forçados a estar sozinhos e expor por si mesmos sua crença, ficarão surpresos de ver quão confusas são suas idéias sobre o que têm aceitado como verdade. É certo que tem havido entre nós um afastamento do Deus vivo e um voltar-se para os homens, pondo a sabedoria humana em lugar da divina.

Deus despertará Seu povo; se outros meios falharem, se introduzirão entre eles heresias, as quais os peneirarão, separando a palha do trigo. O Senhor chama todos os que crêem em Sua Palavra, para que despertem do sono. Tem vindo uma preciosa luz, apropriada aos nossos dias. É a verdade bíblica, mostrando os perigos que se acham mesmo despencando sobre nós. Essa luz nos deve levar a um diligente estudo das Escrituras, e a um mais atento exame crítico das posições que mantemos. É vontade de Deus que todos os fundamentos e posições da verdade sejam acurada e perseverantemente investigados, com oração e jejum. Os crentes não devem ficar em suposições e mal definidas idéias do que constitui a verdade. Sua fé deve estar firmemente estabelecida sobre a Palavra de Deus, de maneira que, quando o tempo de prova chegar, e eles forem levados perante os concílios para responder por sua fé, sejam capazes de dar uma razão para a esperança que neles há, com mansidão e temor. […]

Quanto aos que se preparam para debates, há grande perigo de que eles não lidem com sensatez em relação à Palavra de Deus. Ao enfrentar um adversário, deve ser nosso mais sincero esforço apresentar os assuntos de maneira tal que despertemos a convicção em seu espírito, em vez de procurar meramente inspirar confiança ao crente (T5, p. 707, 708).

Fonte: Ellen White, Meditação Matinal Jesus Meu Modelo, 12/04/2009

3 Comentários


  1. Que o Senhor Jesus, o Cristo, tire as escamas dos nossos olhos.
    “Quando Cristo, sentado, contemplava o grupo que aguardava o esposo, contou aos discípulos a história das dez virgens, ilustrando, pela experiência delas, a da igreja que viveria justamente antes de Sua segunda vinda. Os dois grupos de vigias representam as duas classes que professam estar à espera de seu Senhor. São chamadas virgens porque professam fé pura. As lâmpadas representam a Palavra de Deus. Diz o salmista: “Lâmpada para os meus pés é a Tua palavra e, luz para os meus caminhos.” Sal. 119:105. O óleo é símbolo do Espírito Santo. Assim é representado o Espírito Santo na profecia de Zacarias.( Zac. 4:1-4, 6, 12 e 14). Na parábola, todas as dez virgens saíram ao encontro do esposo. Todas tinham lâmpadas e frascos. Por algum tempo não se notava diferença entre elas. Assim é com a igreja que vive justamente antes da segunda vinda de Cristo. Todos têm conhecimento das Escrituras. Todos ouviram a mensagem da proximidade da volta de Cristo e confiantemente O esperam. Como na parábola, porém, assim é agora. Há um tempo de espera; a fé é provada; e quando se ouvir o clamor: “Aí vem o Esposo! Saí-Lhe ao encontro!” (Mat. 25:6), muitos não estarão preparados. Não têm óleo em seus vasos nem em suas lâmpadas. Estão destituídos do Espírito Santo.
    Sem o Espírito de Deus, de nada vale o conhecimento da Palavra. A teoria da verdade não acompanhada do Espírito Santo, não pode vivificar a mente, nem santificar o coração. Pode estar-se familiarizado com os mandamentos e promessas da Bíblia, mas se o Espírito de Deus não introduzir a verdade no íntimo, o caráter não será transformado. Sem a iluminação do Espírito, os homens não estarão aptos para distinguir a verdade do erro, e serão presa das tentações sutis de Satanás. A classe representada pelas virgens loucas não é hipócrita. Têm consideração pela verdade, advogaram-na, são atraídos aos que creem na verdade, mas não se entregaram à operação do Espírito Santo. Não caíram sobre a rocha, que é Cristo Jesus, e não permitiram que sua velha natureza fosse quebrantada. Essa classe é representada, também, pelos ouvintes comparados ao pedregal. Recebem a Palavra prontamente; porém, deixam de assimilar os seus princípios. Sua influência não permanece neles. O Espírito trabalha no coração do homem de acordo com o seu desejo e consentimento, nele implantando natureza nova; mas a classe representada pelas virgens loucas contentou-se com uma obra superficial. Não conhecem a Deus; não estudaram Seu caráter; não tiveram comunhão com Ele; por isso não sabem como confiar, como ver e viver. Seu serviço para Deus degenera em formalidade. “Eles vêm a Ti, como o povo costuma vir, e se assentam diante de Ti como Meu povo, e ouvem as Tuas palavras, mas não as põem por obra; pois lisonjeiam com a sua boca, mas o seu coração segue a sua avareza.” Ezeq. 33:31. O apóstolo Paulo assinala que essa será a característica especial dos que vivem justamente antes da segunda vinda de Cristo. Diz: “Nos últimos dias sobrevirão tempos trabalhosos; porque haverá homens amantes de si mesmos… mais amigos dos deleites do que amigos de Deus, tendo aparência de piedade, mas negando a eficácia dela.” II Tim. 3:1-5. Essa é a classe que em tempo de perigo é encontrada bradando: Paz e segurança. Acalentam seu coração em sossego, e não sonham com o perigo. Quando despertos de sua indiferença, discernem sua destituição, e rogam a outros que lhes supram a falta; em assuntos espirituais, porém, ninguém pode remediar a deficiência de outros. A graça de Deus tem sido oferecida livremente a todos. Tem sido proclamada a mensagem do evangelho: “Quem tem sede venha; e quem quiser tome de graça da água da vida.” Apoc. 22:17. Todavia o caráter não é transferível. Ninguém pode crer por outro. Ninguém pode receber por outro o Espírito. Ninguém pode dar a outrem o caráter que é o fruto da operação do Espírito. “Ainda que Noé, Daniel e Jó estivessem no meio dela (a Terra), vivo Eu, diz o Senhor Jeová, que nem filho nem filha eles livrariam, mas só livrariam a sua própria alma pela sua justiça.” Ezeq. 14:20. Numa crise é que o caráter é revelado. Quando a voz ardorosa proclamou à meia-noite: “Aí vem o Esposo! Saí-lhe ao encontro!” (Mat. 25:6), e as virgens adormecidas ergueram-se de sua sonolência, foi visto quem fizera a preparação para o evento. Ambos os grupos foram tomados de surpresa; porém, um estava preparado para a emergência, e o outro não. Assim agora uma calamidade repentina e imprevista, alguma coisa que põe a pessoa face a face com a morte, mostrará se há fé real nas promessas de Deus. Mostrará se está sustida na graça. A grande prova final virá no fim do tempo da graça, quando será tarde demais para se suprirem as necessidades do espírito.
    As dez virgens estão esperando na noite da história deste mundo. Todas dizem ser cristãs. Todas têm uma vocação, um nome, uma lâmpada, e todas pretendem fazer a obra de Deus. Todas aguardam, aparentemente, a volta de Cristo. Cinco, porém, estão desprevenidas. Cinco serão encontradas surpreendidas, aterrorizadas, fora do recinto do banquete. Sois excluídos do Céu por vossa própria inaptidão para a sua companhia.
    Não podemos estar prontos para encontrar o Senhor, acordando ao ouvir o brado: “Aí vem o Esposo!” (Mat. 25:6) e então tomar nossas lâmpadas vazias para enchê-las. Não podemos viver apartados de Cristo aqui, e ainda assim estar aptos para a Sua companhia no Céu.
    Na parábola, as virgens prudentes tinham óleo em seus vasos com as lâmpadas. Suas lâmpadas arderam com chama contínua pela noite de vigília. Contribuíram para aumentar a iluminação em honra do Esposo. Brilhando na escuridão, auxiliaram a iluminar o caminho para o lar do esposo, para a ceia de bodas. Assim, devem os seguidores de Cristo irradiar luz nas trevas do mundo. Pela atuação do Espírito Santo, a Palavra de Deus é uma luz quando se torna um poder transformador na vida de quem a recebe. Implantando-lhes no coração os princípios de Sua Palavra, o Espírito Santo desenvolve nos homens os predicados de Deus. A luz de Sua glória – Seu caráter – deve refletir-se em Seus seguidores. Assim devem glorificar a Deus, e iluminar o caminho para a mansão do esposo, para a cidade de Deus, e para o banquete de bodas do Cordeiro.
    A vinda do esposo foi à meia-noite – a hora mais tenebrosa. Assim a vinda de Cristo será no período mais tenebroso da história deste mundo. Os dias de Noé e de Ló ilustram a condição do mundo exatamente antes da vinda do Filho do homem. Apontando para esse tempo, declaram as Escrituras que Satanás trabalhará com todo poder e “sinais, e prodígios de mentira”. II Tess. 2:9. Sua obra é revelada claramente pelas trevas que se adensam rapidamente, pela multidão de erros, heresias e enganos destes últimos dias. Satanás não só leva cativo o mundo, porém suas ilusões infectam até as professas igrejas de nosso Senhor Jesus Cristo. A grande apostasia se desenvolverá em trevas tão densas como as da meia-noite, impenetráveis como a mais intensa escuridão. Para o povo de Deus será uma noite de prova, noite de lamentação, noite de perseguição por causa da verdade. Mas nessa noite de trevas brilhará a luz de Deus. Fez que “das trevas resplandecesse a luz”. II Cor. 4:6. Quando “a Terra era sem forma e vazia; e havia trevas sobre a face do abismo; e o Espírito de Deus Se movia sobre a face das águas. E disse Deus: Haja luz. E houve luz”. Gên. 1:2 e 3. Também na noite das trevas espirituais a Palavra de Deus diz: “Haja luz.” A Seu povo, diz Ele: “Levanta-te, resplandece, porque já vem a tua luz, e a glória do Senhor vai nascendo sobre ti.” Isa. 60:1.
    “Eis”, diz a Escritura, “que as trevas cobriram a Terra, e a escuridão, os povos; mas sobre ti o Senhor virá surgindo, e a Sua glória se verá sobre ti.” Isa. 60:2.
    A escuridão do falso conceito acerca de Deus é que está envolvendo o mundo. Os homens estão perdendo o conhecimento de Seu caráter. Este tem sido mal compreendido e mal-interpretado. Neste tempo deve ser proclamada uma mensagem de Deus, uma mensagem de influência iluminante e capacidade salvadora. O caráter de Deus deve tornar-se notório. Deve ser difundida nas trevas do mundo a luz de Sua glória, a luz de Sua benignidade, misericórdia e verdade.
    Esta é a obra esboçada pelo profeta Isaías, nas palavras: “Tu, anunciador de boas novas a Jerusalém, levanta a tua voz fortemente; levanta-a, não temas e dize às cidades de Judá: Eis aqui está o vosso Deus. Eis que o Senhor Jeová virá como o forte, e o Seu braço dominará; eis que o Seu galardão vem com Ele, e o Seu salário, diante da Sua face.” Isa. 40:9 e 10.
    Os que aguardam a vinda do esposo devem dizer ao povo: “Eis aqui está o vosso Deus.” Isa. 40:9. Os últimos raios da luz misericordiosa, a última mensagem de graça a ser dada ao mundo, é uma revelação do caráter do amor divino. Os filhos de Deus devem manifestar Sua glória. Revelarão em sua vida e caráter o que a graça de Deus por eles tem feito.
    A luz do Sol da Justiça deve irradiar em boas obras – em palavras de verdade e atos de santidade. Cristo, o resplendor da glória do Pai, veio ao mundo como sua luz. Veio representar Deus aos homens, e dEle está escrito que foi ungido “com o Espírito Santo e com virtude”, e “andou fazendo o bem”. Atos 10:38. Na sinagoga de Nazaré, disse: “O Espírito do Senhor é sobre Mim, pois que Me ungiu para evangelizar os pobres, enviou-Me a curar os quebrantados do coração, a apregoar liberdade aos cativos, a dar vista aos cegos, a pôr em liberdade os oprimidos, a anunciar o ano aceitável do Senhor.” Luc. 4:18 e 19. Esta foi a obra de que encarregou os discípulos. “Vós sois a luz do mundo”, disse Ele. “Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai, que está nos Céus.” Mat. 5:14 e 16.
    Esta é a obra que o profeta Isaías descreve, dizendo: “Porventura, não é também que repartas o teu pão com o faminto e recolhas em casa os pobres desterrados? E, vendo o nu, o cubras e não te escondas daquele que é da tua carne? Então, romperá a tua luz como a alva, e a tua cura apressadamente brotará, e a tua justiça irá adiante da tua face, e a glória do Senhor será a tua retaguarda.” Isa. 58:7 e 8. Assim pois a glória de Deus deve brilhar mediante Sua igreja na noite de trevas espirituais, soerguendo os oprimidos e confortando os que choram. Em todo nosso redor ouvem-se os gemidos de um mundo de aflições. Em todos os lados há necessitados e miseráveis. Nosso dever é auxiliar a aliviar e abrandar as dificuldades e misérias da vida.
    O serviço prático será muito mais eficiente do que meramente pregar sermões. Devemos alimentar o faminto, vestir o nu e asilar o desabrigado. E somos chamados para fazer mais do que isto. As necessidades da alma só o amor de Cristo pode satisfazer. Se Cristo em nós habitar, nosso coração estará cheio de simpatia divina. Abrir-se-ão as fontes cerradas do zeloso amor cristão.
    Deus requer não somente as nossas dádivas para os necessitados, mas também nosso semblante amável, nossas palavras de esperança, nosso cordial aperto de mão. Quando curava os doentes Cristo punha sobre eles as mãos. Também devemos achegar-nos em contato íntimo com quem procuramos beneficiar. Muitos há que não têm mais esperança. Dai-lhes novamente a luz do Sol. Muitos perderam o ânimo. Dizei-lhes palavras de conforto. Orai por eles. Há os que carecem do pão da vida. Lede-lhes da Palavra de Deus. Muitos padecem de uma enfermidade da alma que bálsamo nenhum pode restaurar, médico algum curar. Orai por essas pessoas, encaminhai-as a Jesus. Contai-lhes que há um bálsamo e um Médico. A luz é uma bênção, bênção universal que difunde seus tesouros sobre o mundo ingrato, ímpio e desmoralizado. Assim é com a luz do Sol da Justiça. Envolta, como está, nas trevas do pecado, aflição e padecimento, toda a Terra precisa ser iluminada com o conhecimento do amor de Deus. Nenhuma seita ou classe deve ser impedida de receber a luz que refulge do trono celeste.
    A mensagem de esperança e misericórdia tem que ser levada aos confins da Terra. Quem quiser pode aproximar-se, tomar do poder de Deus e fazer paz com Ele, e Ele fará paz. Não mais devem os pagãos estar envoltos em trevas da meia-noite. A escuridão deve desaparecer diante dos brilhantes raios do Sol da Justiça. O poder do inferno foi vencido.
    Mas ninguém pode dar aquilo que não possui. Na obra de Deus, a humanidade nada pode originar. Ninguém pode por seus próprios esforços tornar-se para Deus um portador de Luz. (Parábolas de Jesus-Pág.406-418.)
    “Amai-vos cordialmente uns aos outros com amor fraternal, preferindo-vos em honra uns aos outros; não sejais vagarosos no cuidado; sede fervorosos no espírito, servindo ao Senhor; alegrai-vos na esperança, sede pacientes na tribulação, perseverai na oração; acudi aos santos nas suas necessidades, exercei a hospitalidade; abençoai aos que vos perseguem; abençoai, e não amaldiçoeis; alegrai-vos com os que se alegram; chorai com os que choram; sede unânimes entre vós; não ambicioneis coisas altivas mas acomodai-vos às humildes; não sejais sábios aos vossos olhos; a ninguém torneis mal por mal; procurai as coisas dignas, perante todos os homens.
    Se for possível, quanto depender de vós, tende paz com todos os homens.
    Não vos vingueis a vós mesmos, amados, mas dai lugar à ira de Deus, porque está escrito: Minha é a vingança, eu retribuirei, diz o Senhor.
    Antes, se o teu inimigo tiver fome, dá-lhe de comer; se tiver sede, dá-lhe de beber; porque, fazendo isto amontoarás brasas de fogo sobre a sua cabeça.
    Não te deixes vencer do mal, mas vence o mal com o bem.” (Romanos-12:10 a 21.)
    Slhalom…


  2. Oi Karine, que Deus a abençoe ricamente, juntamente àqueles que lhe são tão afortunados!

    “Deus enxerga e conhece o nosso coração (íntimo)”.

    Em Mateus 23:27 e 28, Jesus já manifestava esta possibilidade de falhas humanas. “…porque sois semelhantes aos sepulcros caiados, que, por fora se mostram belos, mas, interiormente estão cheios de ossos de mortos e de toda imundícia”; “…vós exteriormente pareceis justos aos homens, mas, por dentro, estais cheios de HIPOCRISIAS e de INIQUIDADES”.
    Este diálogo entre Jesus, os escribas e fariseus, nos faz crer de que para Ele o mais importante não é o que mostramos por fora, mas, o que nos move por dentro e, de dentro para fora. A acusação de Jesus junto aos fariseus e escribas, grupos religiosos de sua época, foi justamente por suas hipocrisias, aplicando-se a eles a frase: “Faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço”. Externamente se mostravam pessoas piedosas e fiéis, mas, em seus interiores (mentes e corações) as coisas não estavam em ordem diante de Deus.
    Esmeravam-se em mostrar as pessoas de como eram corretos diante dos Mandamentos e das Leis de Deus, mas, rápidos e objetivos em apontar os erros dos outros. Tudo neles não passavam de aparência: pareciam servos verdadeiros do Senhor, mas por dentro cheios de maldades e erros não resolvidos, tudo hipocrisia. Na prática desta, chegavam a demonstrar falso arrependimento, ao ponto de prostituirem a exortação profética de Joel 2:12 a 18, quando, em vez de buscarem rasgar seus corações, rasgavam suas vestes, quando esta prática comum ao povo de Deus à época era sinal de luto, desespero ou aflição. Deixavam de fazer esta atitude com sinceridade, transformando-a apenas em um ritual sem significado.
    Lamentavam suas situações sem perceberem que a causa de suas reprovação diante do Mestre Jesus, identificados como hipócritas, estava em suas desobediências para com Deus. Por esta razão é que a exortação profética ainda válida para estes tempo, de que Deus não quer que roupas sejam rasgadas, mas o coração. “Rasgar o coração” é uma prova concreta e sincera de que estamos profundamente arrependidos pelo que fazemos de errado perante Deus. Significa reconhecermos nossos maus caminhos lá no íntimo (onde já, Deus sabe que precisamos de ajuda para restaurar nossas vidas) e mudá-la de direção.
    É a nossa atitude, de um coração convertido, de uma vida santificada em jejum e oração, que agradará ao nosso Deus, e não uma demonstração pública de piedade própria.
    Para Deus, a prova de que, cada um de nós não aceitemos as atitudes que não condizem com a sua palavra, é de sermos os primeiros a reconhecermos que cometemos erros e que precisamos da ajuda de Jesus Cristo a cada dia.
    Portanto, lembremo-nos que: “Deus não quer aparência de piedade, mas, um coração sincero na pregação de sua palavra e nos testemunho de seu filho Jesus Cristo em nossas vidas” Amém!!!


  3. Querida e abençoada irmã Karine, que a graça de Cristo a ilumine sempre neste caminho. Examinando às Sagradas Escrituras, encontramos temos uma demonstração de exame de fé e crença no poder de Deus, que nos possibilita sermos transformados.
    “A confiança de Jabez, também pode ser a nossa para alcançarmos os propósitos de Deus em nossas vidas”
    “Foi Jabez mais ilustre do que seus irmãos; sua mãe chamou-lhe Jabez dizendo: Porque com dores o dei à luz. Jabez invocou o Deus de Israel, dizendo: Oh! Tomara que me abençoes e me alargues as fronteiras, que seja comigo a Tua mão e me preserves do mal, de modo que não me sobrevenha aflição! E Deus lhe concedeu o que lhe tinha pedido.” (I.Cron. 4:9, 10).

    1 – Deus deseja realizar proezas na sua vida…
    “Quando Deus deseja realizar uma grande obra, Ele primeiro coloca Seu povo para orar.” Charles Spurgeon.
    Se houve um tempo em que o povo de Deus deve orar… esse tempo chegou em meio às turbulências desta vida.
    Do ponto de vista divino ou celestial, você quer ser u verdadeiro e vencedor cristão? Ou o mais honrado membro da sua família? Ou quem sabe, o mais destacado aluno da sua classe?
    Então… permita que o Espírito Santo mude os seus hábitos espirituais ontem!!
    A honradez celestial é para os homens e mulheres de oração!

    2 – A sua maior necessidade…
    Qual é a sua maior necessidade pessoal?
    Dinheiro, status social, fama, prazeres ou, talvez orar mais?
    “Buscai em primeiro lugar o Reino de Deus e sua Justiça… e Deus que sabe o que você necessita, acrescentará, mas, de acordo com a vontade dEle…” (Mat.6:33 e Fil.2:13)
    “Um reavivamento da verdadeira piedade entre nós, eis a maior e a mais urgente de todas as nossas necessidades….
    …Buscá-lo, deve ser nossa primeira ocupação. Importa haver diligente esforço para obter a bênção do Senhor, não porque Deus não esteja disposto a outorgá-la, mas porque nos encontramos carecidos de preparo para recebê-la.” Mensagens Escolhidas. Vol. 1, Pág.121.
    Buscá-lo deve ser a nossa primeira ocupação. Você tem feito isso cada manhã? Você tem tido essa atitude de busca espiritual?
    Deus quer mudar os seus hábitos espirituais…! Deus quer mudar você…! Deus quer mudar o mundo começando por ti!!
    Você é a chance de Deus começar a mudar a sua casa e o seu bairro!

    3 – O Reavivamento só virá em resposta à sua oração…
    Deus quer reavivar a Sua Igreja…! Sua casa! Que tal começar com você? No seu lar?
    Você está esperando o reavivamento espiritual? O que você está fazendo para que isso aconteça?
    Você tem pedido o batismo diário do Espírito Santo na sua vida?
    Lembre-se de Atos. 5:32 “Deus outorga (dá) o Espírito àqueles que lhe são obedientes”
    Você é a mudança que você quer ver no mundo? Ou melhor, na sua Igreja?
    Obedeça a Deus, a sua palavra, os seus ensinos, escute-o orando…
    “Só podemos esperar um reavivamento em resposta à oração…
    …Enquanto o povo se acha tão destituído do Espírito Santo de Deus, não pode apreciar a pregação da Palavra; mas quando o poder do Espírito lhes toca o coração, então os sermões não ficarão sem efeito.” Mensagens Escolhidas. Vol. 1, Pág.121.
    Percebe que a oração é a única forma ou única maneira de Deus reavivar você a sua a Sua Igreja!!
    Você quer ser uma pessoa de poder espiritual na sua Comunidade ou na sua Igreja?
    “Joelhos dobrados, olhos molhados e alvo alcançado.” Statielma. (Fundadora do Calebe).

    4 – Quem são os homens e mulheres de poder?
    “Os homens (e mulheres) de oração são os homens de poder.” Patriarcas e Profetas. Pág.509.
    Você é uma pessoa de influência espiritual na sua Igreja?
    Você é uma referência espiritual e missionária entre os seus irmãos de fé?
    Uma vida de oração lhe dará serenidade diante de tudo na vida!
    Se você quer ser uma pessoa de poder espiritual, seja uma pessoa de oração!!
    Mude seus hábitos espirituais ontem…!! Mude pra melhor!!

    5 – O Que é a oração genuína?
    “A oração é o abrir do coração a Deus como a um amigo. Não que seja necessário, a fim de tornar conhecido a Deus o que somos; mas sim para nos habilitar a recebê-Lo. A oração não faz Deus baixar a nós, mas eleva-nos a Ele.” Caminho a Cristo. Pág.93.
    Eu aprendi a abrir o meu coração a Jesus cada manhã!!
    Percebe que a oração nos habilita a recebermos Deus em nossa finita mente.
    Que a sua oração lhe eleve a Deus a cada instante.
    Uma coisa eu sei… É muito bom viver na presença de Deus!!
    Na presença e Deus há plenitude de alegria, mesmo quando tudo parece não estar indo bem. (Sal. 16:11).

    6 – Precisamos urgentemente de você na corrente de oração…
    Deus precisa de uma Igreja unida às 6h00 da manhã, diante do Seu altar de intercessão. (Apoc. 8:3).
    “Os membros de nossas igrejas precisam ser convertidos, precisam voltar-se mais para as coisas espirituais. Uma corrente de crentes piedosos deve circundar o mundo. Que todos orem com humildade. Alguns vizinhos poderão reunir-se a fim de orar pedindo o Espírito Santo.” Refletindo a Cristo – MM – 1986, Pág. 113.
    Precisamos a desafiarmos a nós mesmos, em nome de Jesus, a que às 6hs da manhã de cada dia, estejamos buscando os raios transformadores do “Sol da Justiça”.
    Se você deixar de orar, o elo invisível da nossa corrente espiritual de oração será quebrado! Por isso, não deixe de orar…

    7 – O Seu maior poder… O Seu maior recurso…
    “A oração e a fé farão o que nenhum poder da Terra conseguirá realizar.” A Ciência do Bom Viver. Pág.509.
    Precisamos mudar o nosso estilo de vida? SIM! Somos um povo peculiar, distinguido, escolhido por Deus dentre de todas as nações da terra, separados para Ele “…a fim de oferecermos sacrifícios espirituais agradáveis Deus (não ao mundo)… I.Ped.2:4 (u.p)
    A revolução espiritual da sua casa começa com você!!
    Vamos mudar a rotina espiritual da nossa Igreja?
    Vamos acender o chama de Deus em nossa Igreja?
    Vamos mudar o nosso bairro?
    Vamos mudar a nossa maneira de olhar as pessoas?
    Os homens e mulheres de poder; são os homens e mulheres de oração no Senhor Jesus!!!
    O seu maior recurso é a oração intercessora! O seu maior poder é a oração intercessora!!! Ore… Ore… Ore…!!!
    Sem cessar, pede-nos o nosso Salvador, através de seu apóstolo Paulo aos I.Tes. 5:17

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.