O pecado contra o Espírito Santo

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

Por isso, vos declaro: Todo pecado e blasfêmia serão perdoados aos homens; mas a blasfêmia contra o Espírito não será perdoada. Mat. 12:31.

Quero dirigir estas linhas aos que têm tido luz, aos que têm tido privilégios, aos que têm recebido advertências e apelos, mas não têm feito decidido esforço para entregar-se completamente a Deus. Desejo advertir-vos para que tenhais receio de pecar contra o Espírito Santo, ficando então entregues aos vossos próprios caminhos, caindo em letargia moral e nunca mais obtendo perdão. Por que consentiríeis em continuar sendo educados na escola de Satanás e seguir uma linha de procedimento que torne impossível o arrependimento e a reforma? Por que resistir às propostas da misericórdia? Por que dizer: “Deixem-me em paz”, até que Deus seja compelido a satisfazer o vosso desejo, porque quereis que seja assim?

Os que resistem ao Espírito de Deus pensam que se hão de arrepender algum dia no futuro, quando estiverem preparados para dar um passo decisivo em direção à reforma; mas o arrependimento estará então fora de seu alcance. As trevas dos que recusam andar na luz enquanto a luz está com eles serão proporcionais à luz e aos privilégios concedidos.

Ninguém precisa considerar o pecado contra o Espírito Santo como coisa misteriosa e indefinível. O pecado contra o Espírito Santo é o pecado de persistente recusa de atender aos convites para arrependimento. Se recusais crer em Jesus Cristo como vosso Salvador pessoal, amais então as trevas, e não a luz; amais a atmosfera que envolvia o primeiro e grande apóstata. Preferis essa atmosfera à atmosfera que circunda o Pai e o Filho, e Deus permite que sigais vossa preferência. No entanto, que nenhuma alma fique desalentada com esta apresentação do assunto. Não desfaleça ninguém que esteja empenhado em fazer a vontade do Mestre. Esperai em Deus. O Senhor Jesus tornou evidente que tem infinito apreço por vós. Ele deixou o Seu trono real, deixou Suas cortes reais, revestiu Sua divindade com a humanidade, e teve uma morte ignominiosa sobre a cruz do Calvário, para que pudésseis ser salvos. Review and Herald, 29 de junho de 1897.

Fonte: E Recebereis Poder, Meditação Matinal, Ellen White, p. 37

5 Comentários


  1. Oi Irmã Karine!
    Que a Paz de Deus, a Graça de Cristo e a Comunhão do Espírito Santo esteja contigo, é o meu desejo e oração.

    “PECADO VERSUS BLASFÊMIA CONTRA O ESPÍRITO SANTO”
    Certa vez, numa reunião de oração, um jovem pastor, falando sobre este assunto,afirmou: “O pecado imperdoável é qualquer pecado do qual não pedimos perdão. Permanece imperdoável.”
    Entretanto Jesus Se refere à “blasfêmia contra o Espírito Santo”, em Mat. 12:31 e 32.
    No Evangelho de Marcos, acrescenta que, quem blasfemar contra o Espírito Santo é réu de pecado eterno (3:29). E é este pecado que geralmente se define como “pecado imperdoável.”
    Aqueles a quem Cristo Se dirigia haviam recusado Sua oferta de salvação, e atribuíam a Satanás o poder do Espírito, revelado nos ensinos e na obra de Cristo. Ora, assumindo eles um comportamento deliberadamente blasfemo contra o Espírito Santo, colocavam-se a si mesmos fora do único influxo, da única influência que os podia convencer de pecado, de justiça e de juízo, e conseqüentemente levá-los ao arrependimento. Uma série de decisões e atos para a salvação estava implicada nessa recusa, e não um ato único.
    Se o homem rejeita a influência do Espírito Santo, quando Este lhe fala à consciência para convencê-lo de pecado, corre o risco de cometer o pecado imperdoável. O coração vai perdendo a sensibilidade e não atenderá mais aos apelos do Céu.
    Nenhum pecado é, em si, imperdoável, mas a resistência ao Espírito, o não ouvir Suas advertências pode conduzir ao pecado imperdoável. Sim, a contínua e progressiva resistência à verdade leva à irrevogável rejeição da graça divina. A consciência fica cauterizada (I. Tim. 4:2) e o pecador é posto além do desejo de salvar-se. Seu pecado não pode ser perdoado porque o pecador não deseja a salvação. Ninguém deve temer. Se alguém se aborrece com o pecado e teme o pecado imperdoável, isto em si é prova de que não cometeu o pecado imperdoável.
    Quem pensar ao contrário está equivocadamente enganado. Mesmo um grande pecado não é imperdoável, mas sim a continuação do mesmo. “Tenhamos a certeza de que não há pecado tão grande que a misericórdia de Deus não seja suficiente para perdoar, e o sangue de Cristo bastante para expiar sua culpa; tão pouco é a multidão ou o tamanho dos pecados simplesmente, o que impede o perdão, mas sim a impenitência ao pecar, sejam os pecados muitos ou poucos, grandes ou pequenos.” — The Biblical Illustrator.
    A persistência no pecar torna-se uma voluntariosa resistência aos apelos do Espírito Santo. O passo seguinte é a justificação de atos errados como se fossem bons, ou atribuir a Satanás o que a Deus pertence.
    Enquanto os homens sentirem o desejo de fazerem o bem, o Espírito Santo está operando neles. Convém explicarmos isso aos corações turbados.
    “Deus opera pela manifestação de Seu Espírito para reprovar e convencer o pecador; e, se a obra do Espírito é finalmente rejeitada, nada mais há que Deus possa fazer pela alma. O último recurso da misericórdia divina foi empregado. O transgressor desligou-se de Deus; e o pecado não tem remédio para curar a si mesmo. Não há um poder reservado pelo qual Deus possa operar para convencer e converter o pecador.” – Patriarcas e Profetas, pág. 443.
    Muitas são as promessas de perdão, na Bíblia. Se confessarmos os pecados, Ele perdoará (I. S. João 1:9). Confessa-se o pecado às pessoas que ofendemos, assim como a Deus (Tiago 5:16). Deste modo a carga do pecado nos deixará imediatamente em paz.
    “Não espereis até que vossos pecados se tenham acumulado, tornando-se uma nuvem ou uma montanha. Não espereis até que chegue o tempo da oração vespertina. Não adieis para quando estiverdes a sós. Mas tão depressa vos venha a consciência de qualquer peso, passai-o para os ombros de Jesus; lançai sobre Ele todos os vossos cuidados, pois Ele cuidará de vós. Seus olhos são ligeiros para ver todo esforço que fazeis para crer; e seu coração é bastante grande para conter as aflições. Logo que Lhe deis vosso caso, Ele o toma e cuidará em resolvê-lo, para vossa alegria e para Sua glória.” – F. B. Meyer.
    É pelo convite do Espírito Santo que o crente entrega a Deus o coração. A menos que essa entrega se faça, o coração permanece carnal, ou absorvido pelas coisas da carne. (Rom. 8:9.)
    Devemos ter muito cuidado em atender sem demora aos apelos do Espírito Santo. Se procuramos justificar um procedimento mau nosso, estamos substituindo o bem pelo mal, e isto é um passo rumo do pecado voluntário.
    Que Deus nos abençoe e atendemos a voz do Espírito Santo ao nos dizer: “Hoje ao ouvirdes a minha voz, não endureçais vossos corações” Heb.3:7 e 8.


  2. QUE SAUDADES JÁ TINHA DESSE ESPAÇO! É PIOR QUE ISSO ESTÁ SE COMPRINDO DENTRO DA NOSSA IGREJA, OS OUVIDOS ESTÃO SE TAPANDO, QUE O ESPIRITO SANTO NÃO DESISTA DE CADA UM DE NÓS E DEUS COM A TUA INFINITA MISERICORDIA NOS SOCORRAM.


  3. http://www.youtube.com/watch?v=9whJZPlWLx8&feature=channel

    Que a Luz do Espírito Santo seja sobre nós…
    “Não me lances fora da tua presença, e não retire de mim o teu Santo Espírito.
    Restitui-me a alegria da tua salvação, e sustém-me com um espírito voluntário.
    Então ensinarei aos transgressores os teus caminhos, e pecadores se converterão a ti.” (Salmos-51:11 a 13.)
    “Os que são coobreiros de Deus, são apenas instrumentos Seus, e em si mesmos não possuem graça ou santidade essenciais. Unicamente quando estão cooperando com os seres celestiais é que têm êxito. São apenas vasos terrenos, os depositários aos quais Deus confia o tesouro de Sua verdade. Poderá Paulo plantar, Apolo regar, mas é Deus, tão-somente, que dá o crescimento.
    Deus fala por meio dos agentes por Ele designados, e que nenhum homem, nem grupo de homens, insultem o Espírito de Deus recusando-se a ouvir a mensagem da Palavra divina dos lábios de Seus mensageiros escolhidos. Recusando-se a ouvir a mensagem de Deus, fecham-se os homens num aposento de trevas. Excluem sua própria alma das grandes bênçãos e roubam a Cristo da glória que Lhe deveria ser dada, mostrando desrespeito para com os agentes que designou.” (A Igreja Remanescente-Pág.50.)
    “Disse então Pedro: Ananias, por que encheu Satanás o teu coração, para que mentisses ao Espírito Santo e retivesses parte do preço do terreno?
    Enquanto o possuías, não era teu? e vendido, não estava o preço em teu poder? Como, pois, formaste este desígnio em teu coração? Não mentiste aos homens, mas a Deus.
    E Ananias, ouvindo estas palavras, caiu e expirou.” (Atos-5:3 a 5.)
    “Se alguém vos anunciar outro evangelho além do que já recebestes, seja anátema” (Gl 1.9).
    A PALAVRA anátema (gr. anathema) significa alguém que está sob maldição divina, condenado à destruição.
    “Ninguém precisa considerar o pecado contra o Espírito Santo como coisa misteriosa e indefinível. O pecado contra o Espírito Santo é o pecado de persistente recusa de atender aos convites para arrependimento. Se recusais crer em Jesus Cristo como vosso Salvador pessoal, amais então as trevas, e não a luz; amais a atmosfera que envolvia o primeiro e grande apóstata. Preferis essa atmosfera à atmosfera que circunda o Pai e o Filho, e Deus permite que sigais vossa preferência. No entanto, que nenhuma alma fique desalentada com esta apresentação do assunto. Não desfaleça ninguém que esteja empenhado em fazer a vontade do Mestre. Esperai em Deus. O Senhor Jesus tornou evidente que tem infinito apreço por vós. Ele deixou o Seu trono real, deixou Suas cortes reais, revestiu Sua divindade com a humanidade, e teve uma morte ignominiosa sobre a cruz do Calvário, para que pudésseis ser salvos.”( Review and Herald, 29 de junho de 1897.)
    “Meu irmão, o Espírito convida-o hoje. Chegue-se a Jesus, de todo o coração. Arrependa-se de seus pecados, faça confissão a Deus, abandone toda a iniqüidade, e poderá apropriar-se de todas as Suas promessas. “Olhai para Mim, e sereis salvos” (Isa. 45:22), é Seu precioso convite.”( Testemunhos Seletos, vol. 2, págs. 265 e 266.)
    Shalom…


  4. http://www.youtube.com/watch?v=9whJZPlWLx8&feature=channel

    Que a Luz do Espírito Santo seja sobre nós…
    “Não me lances fora da tua presença, e não retire de mim o teu Santo Espírito.
    Restitui-me a alegria da tua salvação, e sustém-me com um espírito voluntário.
    Então ensinarei aos transgressores os teus caminhos, e pecadores se converterão a ti.” (Salmos-51:11 a 13.)
    “Os que são coobreiros de Deus, são apenas instrumentos Seus, e em si mesmos não possuem graça ou santidade essenciais. Unicamente quando estão cooperando com os seres celestiais é que têm êxito. São apenas vasos terrenos, os depositários aos quais Deus confia o tesouro de Sua verdade. Poderá Paulo plantar, Apolo regar, mas é Deus, tão-somente, que dá o crescimento.
    Deus fala por meio dos agentes por Ele designados, e que nenhum homem, nem grupo de homens, insultem o Espírito de Deus recusando-se a ouvir a mensagem da Palavra divina dos lábios de Seus mensageiros escolhidos. Recusando-se a ouvir a mensagem de Deus, fecham-se os homens num aposento de trevas. Excluem sua própria alma das grandes bênçãos e roubam a Cristo da glória que Lhe deveria ser dada, mostrando desrespeito para com os agentes que designou.” (A Igreja Remanescente-Pág.50.)
    “Disse então Pedro: Ananias, por que encheu Satanás o teu coração, para que mentisses ao Espírito Santo e retivesses parte do preço do terreno?
    Enquanto o possuías, não era teu? e vendido, não estava o preço em teu poder? Como, pois, formaste este desígnio em teu coração? Não mentiste aos homens, mas a Deus.
    E Ananias, ouvindo estas palavras, caiu e expirou.” (Atos-5:3 a 5.)
    “Se alguém vos anunciar outro evangelho além do que já recebestes, seja anátema” (Gl 1.9).
    A PALAVRA anátema (gr. anathema) significa alguém que está sob maldição divina, condenado à destruição.
    “Ninguém precisa considerar o pecado contra o Espírito Santo como coisa misteriosa e indefinível. O pecado contra o Espírito Santo é o pecado de persistente recusa de atender aos convites para arrependimento. Se recusais crer em Jesus Cristo como vosso Salvador pessoal, amais então as trevas, e não a luz; amais a atmosfera que envolvia o primeiro e grande apóstata. Preferis essa atmosfera à atmosfera que circunda o Pai e o Filho, e Deus permite que sigais vossa preferência. No entanto, que nenhuma alma fique desalentada com esta apresentação do assunto. Não desfaleça ninguém que esteja empenhado em fazer a vontade do Mestre. Esperai em Deus. O Senhor Jesus tornou evidente que tem infinito apreço por vós. Ele deixou o Seu trono real, deixou Suas cortes reais, revestiu Sua divindade com a humanidade, e teve uma morte ignominiosa sobre a cruz do Calvário, para que pudésseis ser salvos.”( Review and Herald, 29 de junho de 1897.)
    “Meu irmão, o Espírito convida-o hoje. Chegue-se a Jesus, de todo o coração. Arrependa-se de seus pecados, faça confissão a Deus, abandone toda a iniqüidade, e poderá apropriar-se de todas as Suas promessas. “Olhai para Mim, e sereis salvos” (Isa. 45:22), é Seu precioso convite.”( Testemunhos Seletos, vol. 2, págs. 265 e 266.)
    Shalom…


  5. “Que constitui o pecado contra o Espírito Santo? Está em voluntariamente atribuir a Satanás a obra do Espírito Santo. Por exemplo, suponhamos que alguém seja testemunha de uma nova manifestação especial do Espírito de Deus. Possui prova convincente de que o fato está em harmonia com as Escrituras, e o Espírito testemunha com seu espírito que é de Deus. Depois, entretanto, a pessoa cai em tentação; orgulho, convencimento, ou qualquer outro mau traço a domina; e, ao rejeitar todas as provas de seu divino caráter, declara que tudo o que antes reconhecera como sendo o poder do Espírito Santo era apenas o de Satanás. É por meio de Seu Espírito que Deus atua no coração humano; e quando o homem voluntariamente rejeita o Espírito e declara ser o de Satanás, interrompe o canal por meio do qual Deus Se pode comunicar com ele. Pela negação da prova que Deus Se dignou conceder-lhe, apaga a luz que lhe estivera a brilhar no coração e, como resultado, é deixado em trevas. Assim se verificam as palavras de Cristo: “Se, portanto, a luz que em ti há são trevas, quão grandes serão tais trevas!” Mateus 6:23. Por algum tempo, pessoas que tenham cometido este pecado podem parecer serem filhos de Deus; mas quando surgem circunstâncias destinadas a desenvolver o caráter e mostrar de que espírito são, ver-se-á que se acham no terreno do inimigo, arregimentadas sob sua negra bandeira.” {T5 634.1}

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.