A modéstia cristã e o cumprimento da lei

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

Já falamos aqui, por diversas vezes, sobre modéstia cristã. De igual modo, falamos muito, também, sobre o cumprimento da lei. Hoje, convido você a uma reflexão um pouco mais profunda sobre a relação que existe entre a modéstia cristã e o cumprimento da lei.

Para iniciarmos essa reflexão, pergunto: o que significa cumprir a lei de Deus?

O apóstolo Paulo nos responde essa pergunta de forma direta – “Porque toda lei se cumpre em um só preceito, a saber: Amarás o teu próximo como a ti mesmo.” Gálatas 5:14

Então temos uma nova questão: Qual a relação entre modéstia cristã e amor ao próximo (cumprimento da lei)?

1. O princípio da modéstia cristã no ensina a abstermo-nos de gastar dinheiro com adornos desnecessários. No professo mundo cristão gasta-se com jóias e vestidos desnecessariamente caros o que seria suficiente para alimentar todos os famintos e vestir todos os nus. A moda e a ostentação absorvem os meios que poderiam confortar os pobres e sofredores. Roubam ao mundo o evangelho do amor do Salvador. …” Mensagem aos Jovens, p. 351. Os recursos financeiros que Deus nos confiou devem ser usados para a manutenção da Sua obra nessa terra e salvação de almas. Às vezes, os cristãos preocupam-se mais em comprar roupas e adornos do que em alimentar e vestir os necessitados. Não medem esforços em gastar com adornos desnecessários e supérfulos, mas não têm a mesma disposição em ajudar aqueles que estão sedentos por auxílio material e espiritual. Desviam os recursos divinos para alimentarem sua vaidade e ostentação e negligenciam a missão, destinando ao próximo o que sobra, quando sobra.

2. O princípio da modéstia cristã nos ensina a usarmos um “adorno espiritual”.O enfeite delas não seja o exterior, no frisado dos cabelos, no uso de jóias de ouro, na compostura dos vestidos; Mas o homem encoberto no coração; no incorruptível traje de um espírito manso e quieto, que é precioso diante de Deus.” I Pedro 3:3-4. O “adorno espiritual”, o incorruptível traje de um espírito manso e quieto, é demonstrado na forma de tratarmos as pessoas. “A lição se aplica aos crentes em todas as eras. “Pelos seus frutos os conhecereis.” Mat. 7:20. O adorno interior de um espírito manso e quieto é inestimável. Na vida do verdadeiro cristão o adorno externo está sempre em harmonia com a paz e a santidade internas. “Se alguém quiser vir após Mim”, disse Jesus, “renuncie-se a si mesmo, tome sobre si a sua cruz, e siga-Me.” Mat. 16:24. O sacrifício e a negação do eu assinalarão a vida do cristão. E a evidência de que o gosto está mudado será vista no vestuário de todo aquele que anda na vereda aberta para os redimidos do Senhor.” Atos dos Apóstolos, p. 523. Por mais que pareça estranho, um coração abnegado, um caráter manso e humilde, um cristão que vive para servir (a Deus e ao próximo) reflete esse adorno interior na abstinência do adorno exterior, na simplicidade do vestir. Um coração vaidoso tem muito pouco espaço para abnegação e serviço desinteressado em prol do próximo.

3. O princípio da modéstia cristã nos ensina a vivermos como canais de bençãos e não pedras de tropeço ou motivo de escândalo.Assim que não nos julguemos mais uns aos outros; antes seja o vosso propósito não pôr tropeço ou escândalo ao irmão.” Romanos 14:13. “Mas, qualquer que escandalizar um destes pequeninos, que crêem em mim, melhor lhe fora que se lhe pendurasse ao pescoço uma mó de azenha, e se submergisse na profundeza do mar.” Mateus 18:6. “Por isso, se a comida escandalizar a meu irmão, nunca mais comerei carne, para que meu irmão não se escandalize.” I Coríntios 8:13. Esses versos mostram um pouco da seriedade com que Deus trata o testemunho que damos aos que nos cercam. Não devemos escandalizar nossos irmãos com nossas práticas. Apesar da salvação ser individual, devemos cuidar em não sermos pedras de tropeço para aqueles que desejam seguir a Deus. Muitas vezes, o princípio da modéstia cristã é tratado como “nada a ver”, “não é ponto de salvação”, e, a partir desses equivocados pensamentos, o testemunho do verdadeiro cristianismo fica prejudicado. Leia com atenção o relato a seguir de Ellen White:

“Uma irmã que passara algumas semanas em uma de nossas instituições em ______, disse que ficou muito desapontada com o que vira e ouvira ali. … Antes de aceitar a verdade, seguira as modas do mundo na sua maneira de trajar-se, e usara jóias de valor e outros ornamentos; mas ao decidir obedecer à Palavra de Deus, notou que seus ensinos exigiam dela o abandono de todo adorno extravagante e supérfluo. Foi ensinada que os adventistas do sétimo dia não usam jóias, ouro, prata ou pedras preciosas, e não seguem, no vestuário, as modas mundanas. Ao ver entre os que professam a fé um tão grande afastamento da simplicidade bíblica, sentiu-se perplexa. Não possuíam eles a mesma Bíblia que ela estivera estudando, e com a qual ela se empenhara por conformar a vida? Fora a sua experiência passada um mero fanatismo? Interpretara mal as palavras do apóstolo: “A amizade do mundo é inimizade contra Deus. Portanto, qualquer que quiser ser amigo do mundo constitui-se inimigo de Deus”. Tia. 4:4.

A Sra. D, que exerce uma função na instituição, estava certo dia de visita no quarto da irmã _______, quando esta tirou de sua mala um colar e corrente de ouro, e disse que queria vender essa jóia e entregar o produto à tesouraria do Senhor. Disse a outra: “Por que o vende? Eu o usaria, se fosse meu.” “Ora!” respondeu a irmã ______, “quando eu aceitei a verdade, foi-me ensinado que devemos abandonar todas estas coisas. Sem dúvida elas são contrárias aos ensinos da Palavra de Deus.” E citou a sua compreensão das palavras dos apóstolos Paulo e Pedro, sobre esse ponto: “Que do mesmo modo as mulheres se ataviem em traje honesto, com pudor e modéstia, não com tranças, ou com ouro, ou pérolas, ou vestidos preciosos, mas (como convém a mulheres que fazem profissão de servir a Deus) com boas obras.” I Tim. 2:9 e 10. “O enfeite delas não seja o exterior, no frisado dos cabelos, no uso de jóias de ouro, na compostura de vestes, mas o homem encoberto no coração, no incorruptível trajo de um espírito manso e quieto.” I Ped. 3:3 e 4.

Como resposta, a senhora mostrou um anel de ouro que tinha no dedo, que lhe fora presenteado por um incrédulo, e disse pensar que nenhum mal haveria em usar tais ornamentos. “Não somos tão estritos como antes”, disse. “Nosso povo tem sido escrupuloso demais no tocante ao assunto do vestuário. As senhoras desta instituição usam relógios de ouro e correntes de ouro, e vestem-se como as outras pessoas. Não é bom procedimento o ser singular quanto ao nosso vestuário; pois não podemos exercer muita influência.”

Perguntamos: Está isso em conformidade com os ensinos de Cristo? Temos nós de seguir a Palavra de Deus, ou os costumes do mundo? Nossa irmã decidiu que o mais seguro era seguir a norma bíblica. Gostarão a irmã D e outras que procedem de maneira idêntica, de enfrentar o resultado de sua influência, naquele dia em que todo homem receberá segundo as suas obras?

A Palavra de Deus é clara. Seus ensinos não podem ser confundidos. Obedecer-lhe-emos, tal como Ele no-la deu, ou buscaremos desviar-nos o máximo possível e não obstante ser salvos? Oxalá todos quantos estão vinculados às nossas instituições recebam a luz divina e sigam-na, habilitando-se, assim, para transmitir luz aos que andam em trevas.

A conformidade com o mundo é um pecado que está minando a espiritualidade de nosso povo, e seriamente prejudicando a sua utilidade. Inútil é proclamar ao mundo a mensagem de advertência, enquanto a negamos nas realizações da vida diária. Review and Herald, 28 de março de 1882.” Evangelismo, p. 270-272. (grifo nosso)

Seguir o princípio da modéstia cristã está intimamente relacionado ao cumprimento da lei que se reume em amar ao próximo como a mim mesmo. Seguindo o princípio da modéstia cristã, o coração do cristão é muito mais disposto a empregar recursos materiais em prol do próximo, a praticar o verdadeiro amor (pois seu adorno está num caráter que reflete o amor de Jesus) e a testemunhar do verdadeiro evangelho – um evangelho que salva, transforma e exige abnegação.

Maquiagem, jóias, esse ou aquele tipo de roupa… se ainda pensamos sobre essas coisas como “nada a ver” ou “não é ponto de salvação”, precisamos urgentemente repensar nosso cristianismo. Estamos aqui neste mundo com um propósito nobre. Fomos chamados para sermos raça eleita, sacerdócio real, nação santa, povo de propriedade exclusiva de Deus, a fim de proclamarmos as virtudes daquele que nos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz (I Pedro 2:9). Nossa vida não nos pertence. Foi comprada por alto preço! Não podemos usar algo única e exclusivamente porque agrada nosso coração vaidoso. Tudo em nós deve refletir o cristianismo que professamos. O mundo precisa conhecer o Deus que conhecemos. Jesus foi modesto, humilde e despretencioso. Nosso adorno deve ser o caráter de nosso Salvador! Somente assim, refletindo o Mestre em Seu abnegado caráter, poderemos amar aos que nos cercam e cumprir a Sua lei.

Que Deus nos abençoe e nos transforme!!!

17 Comentários


  1. Bom Dia irmã!
    muito feliz o texto, me ajudou a esclarecer dúvidas que tinha quanto ao vestuário.
    Obrigada!
    Maranata!


  2. Que o Eterno Deus nos reeduque…
    “O Senhor ordenou a Seu povo que saísse do mundo e fosse um povo separado. Vestes vistosas ou dispendiosas não assentam nos que crêem, que vivemos nos últimos dias da graça. “Quero pois”, escreveu o apóstolo Paulo, “que os homens orem em todo o lugar, levantando mãos santas, sem ira nem contenda. Que do mesmo modo as mulheres se ataviem em traje honesto, com pudor e modéstia, não com tranças, ou ouro, ou pérolas, ou vestidos preciosos, mas (como convém a mulheres que fazem profissão de servir a Deus) com boas obras.”
    Mesmo entre os que professam ser filhos de Deus, há os que gastam mais do que é necessário com o vestuário. Devemos vestir-nos decentemente e com gosto, mas, minhas irmãs, quando estais comprando ou fazendo a vossa própria roupa ou a de vossos filhos, pensai no trabalho da vinha do Senhor que ainda está esperando para ser feito. É correto comprar bom material e confeccionar o vestuário com cuidado. Isso é economia. Mas não há necessidade de ricos enfeites, e nisso condescender é gastar para a satisfação própria o dinheiro que devia ser empregado na causa de Deus.
    Não é a vossa roupa que vos torna valiosos aos olhos do Senhor. É o adorno interior, são as graças do espírito, a palavra bondosa, a atenciosa consideração para com os outros, que Deus aprecia. Passai sem os
    Pág. 302
    enfeites que não forem necessários, e ponde de lado, para o avanço da causa de Deus, os meios assim economizados. Aprendei a lição da abnegação, e ensinai-a a vossos filhos. Tudo o que puder ser economizado pela abnegação é necessário, agora, na obra a ser realizada. O sofredor deve ser aliviado; o nu, vestido; o faminto, alimentado; deve a verdade para este tempo ser contada aos que não a conhecem. Privando-nos do que não é necessário, podemos ter uma parte na grande obra de Deus.”( Conselhos Sobre Mordomia-Pág.301,302.)
    “Eia agora, vós ricos, chorai e pranteai, por causa das desgraças que vos sobrevirão. As vossas riquezas estão apodrecidas, e as vossas vestes estão roídas pela traça. O vosso ouro e a vossa prata estão enferrujados; e a sua ferrugem dará testemunho contra vós, e devorará as vossas carnes como fogo. Entesourastes para os últimos dias.” (Tiago-5:1,3.)
    Shalom…


  3. Concordo com todos os pontos colocados. Mas percebo que a visualização desses princípios é unilateral e por isso meio que hipócrita.
    Não posso usar meu dinheiro para vestir-me na moda, esbanjando sem limites, o que tenho, para ostentar uma beleza superficial.No entanto, percebo, em nosso meio religioso, a ostentação em carros, casas, alimentação, viagens e uma gama enorme de possibilidades.
    Vejo pessoas com tantas coisas que são dispensáveis, mas a igreja as acolhe como as mais destacáveis. Muito contraditório tão posição, partindo do princípio que o coração humano deve estar entregue aos cuidados dos Espírito em todos os aspectos.
    Se possível, interessante seria uma posição apropriada sobre tais situações.


  4. romeucaraujo@gmail.com

    Motraram 4 (quatro) citações biblicas e tambem mostraram 4 (quatro) citações de Ellen White:

    Isso mostra a prioridade que dão a ela. Nem leem a biblia.

    Que triste.


  5. Romeu Carlos Araujo é porque os livros da senhora Ellen G. Whati está ao mesmo nível das Escrituras, E caíram nas heresias da mesma. Dou Glória a há Deus, por ele ter me dado um Pouco de conhecimneto senão hoje; eu estaria dentro da seita.


  6. Prezados Romeu e Edelson,

    Um pouco de bom senso e ambos perceberiam que não damos prioridade aos escritos divinamente inspirados de Ellen White em detrimento da Bíblia.
    Ao longo de muitos posts os senhores vêm expressando claramente vossa não aceitação em relação aos escritos da irmã White assim como discordância enfática em relação às crenças da IASD.
    É direito de vocês não acreditarem na inspiração profética de Ellen White e nas crenças da IASD, contudo, como o próprio nome deste blog diz, esse é um espaço criado por adventistas, e se os irmãos insistem em ler nossos posts, devem, no mínimo, estar dispostos a ler sobre nossas crenças. Se estamos errados no que acreditamos (o que tenho certeza de que não estamos, certeza que o próprio Deus, em meu relacionamento íntimo com Ele, fortalece a cada dia) sintam-se a vontade para não lerem nossos “erros” e “heresias”.

    Peço apenas que respeitem (em todo e qualquer post) as crenças da IASD se desejam continuar participando de discussões aqui.

    Caso desejem estudar a bíblia conosco, ficaremos felizes em fazê-lo.

    Que o Senhor lhes dê sabedoria e entendimento!


  7. Kelda,

    Não somos nós responsáveis por julgar os corações. Ostentação é pecado sim. Usar mal os recursos divinos é pecado. SOmos mordomos de Deus e iremos prestar contas, cada um, por seus atos.

    Vc conhece alguém que ostenta em algo? Já orou pela pessoa? Já conversou com ela?

    Meu papel nos textos publicados e no púlpito é exortar. Fora dos textos e do púlpito meu papel é orar, e auxiliar as pessoas que sentem dificuldade em abster-se da vaidade. Assuma esse papel tb. Cristo nos chamou para fazer a diferença no mundo. Pobres e ricos, vaidosos ou não, precisamo de nosso amor e nossas orações =)

    Fique com Deus!


  8. Num mundo cheio de vaidades não podia dá outra coisa.

    Fico triste com tais comentários…
    Oremos!


  9. Oi meus amados!
    Uma Breve Compilação a respeito de quem foi E.G.W nas mãos de Nosso Deus.

    Quem foi Ellen G. White e porque milhões de pessoas consideram seus escritos de especial valor e significado? Ela era uma pessoa de notáveis talentos espirituais, que viveu a maior parte de sua vida durante o século 19 (1827-1915), mas através de seus escritos ela continua exercendo um extraordinário impacto em milhões de indivíduos ao redor do mundo.

    Durante toda a sua vida ela escreveu mais de 5.000 artigos e 49 livros; mas hoje, incluindo compilações de seus manuscritos, mais de 100 livros estão disponíveis em inglês, e cerca de 70 em português. Ellen G. White é a escritora mais traduzida em toda a história da literatura. Seus escritos abrangem uma ampla variedade de tópicos, incluindo religião, educação, saúde, relações sociais, evangelismo, profecias, trabalho de publicações, nutrição e administração.

    Sua obra-prima sobre o viver cristão feliz, Caminho à Cristo , já foi publicada em cerca de 150 idiomas. Os adventistas do sétimo dia crêem que a Sra. White era mais que uma escritora talentosa – ela foi apontada por Deus para ser uma mensageira especial a fim de atrair a atenção de todos para as Santas Escrituras, e para ajudá-los a se prepararem para a segunda vinda de Cristo. Desde os 17 anos de idade até o seu falecimento, aos 87 anos, Deus lhe deu cerca de 2000 sonhos e visões.

    As visões variavam em duração, podendo ser de menos de um minuto até cerca de quatro horas. O conhecimento e conselhos recebidos através dessas revelações foram por ela escritos a fim de serem compartilhados com outros. Assim, seus escritos são aceitos como inspirados pelo o Poder do Espírito Santo do Espírito Santo, e acedito pelos adventistas do sétimo dia, e a qualidade excepcional dessas obras é reconhecida mesmo pelos leitores ocasionais.

    Como nos é declarado no livro Nisto Cremos “Os escritos de Ellen White não constituem um substitutivo para a Bíblia. Não podem ser colocados no mesmo nível. As Escrituras Sagradas ocupam posição única, pois são o único padrão pelo qual os seus escritos – ou quaisquer outros – devem ser julgados e ao qual devem estar subordinados” ( Nisto Cremos, Associação Ministerial, Associação Geral dos Adventistas do Sétimo Dia, Tatuí, SP: Casa Publicadora Brasileira, 1989, p. 305).

    Contudo, conforme escreveu Ellen White, “O fato de que Deus revelou Sua vontade aos homens por meio de Sua Palavra, não tornou desnecessária a contínua presença e direção do Espírito Santo. Ao contrário, o Espírito foi prometido por nosso Salvador para aclarar a Palavra a Seus servos, para iluminar e aplicar os seus ensinos” ( O Grande Conflito, p. 9).

    A título de exemplo de que esta serva do Senhor nunca procurou por ela mesmo exaltar os escritos acima das Sagradas Escrituras, e, sim, orientada pelo Espírito Santo, em clarificar a mesma, pelos escritos inspirados através do Espírito Santo, segue-se abaixo, trechos de Livros onde surgem 08 (OITO) Livros das Sagradas Escrituras; 05 relatados do Velho Testamento e 03 (TRÊS) no Novo Testamento, compreendendo 20 (VINTE) versículos e, apenas a citação do 03 (TRÊS) Livros do Espírito de Profecia (Espírito Santo), conforme a seguir:
    O espírito Santo usando-a para dissertar mensagem proclamada pelo anjo voando pelo meio do céu é o evangelho eterno, o mesmo evangelho que foi anunciado no Éden quando Deus disse à serpente: “porei inimizade entre ti e a mulher, e entre a tua semente e a sua semente; esta te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar,” Gên.3:15. Aí está a primeira promessa de um salvador que havia de erguer-Se no campo de batalha para contestar o poder de Satanás e prevalecer contra ele. Cristo veio ao nosso mundo a fim de representar o caráter de Deus assim como ele é representado em Sua santa lei; pois esta é uma transcrição de Seu caráter. Cristo era tanto a lei como o evangelho. O anjo que proclama o evangelho eterno proclama a lei de Deus; pois o evangelho da salvação leva os homens à obediência da lei, pela qual seu caráter é formado segundo a semelhança divina. II Mensagens Escolhidas, 106.
    Diante da controvérsia sobre a adoração hoje em dia, novamente o Espírito Santo usando-a, revela-lhe que tem Deus em mente quando diz “adorar” na primeira mensagem: Pelo primeiro anjo os homens são chamados a temer a Deus, dar-lhe glória, e adorá-lO como Criador do céu e da terra. A fim de fazer isto devem obedecer à Sua lei. Diz o sábio: “Teme a Deus, e guarda os Seus mandamentos; porque isto é o dever de todo o homem” (Ecl. 12:13). Sem a obediência aos Seus mandamentos nenhum culto pode ser agradável a Deus. “Este é o amor de Deus: que guardemos os Seus mandamentos”. “O que desvia os seus ouvidos de ouvir a lei, até a sua oração será abominável” (1 João 5:3; Prov. 28:9). O Grande Conflito, pág. 349, Cap. 25.
    O Poder do Espírito Santo usava-a para tornar a palavra do Senhor Deus mais especifica: No Capítulo 14 de Apocalipse, os homens são convidados a adorar o Criador; e a profecia revela uma classe de pessoas que, como resultado da tríplice mensagem, observam os mandamentos de Deus. Um desses mandamentos aponta diretamente para Deus como sendo o Criador. O quarto preceito declara: “O sétimo dia é o Sábado do Senhor, teu Deus… porque em seis dias fez o Senhor os céus e a terra, o mar e tudo que neles há, e ao sétimo dia descansou; portanto abençoou o Senhor que é “um sinal,… para que saibais que Eu sou o Senhor vosso Deus” (Êxo. 20:10,11- Eze. 20:20). Idem pág. 350.
    O Espírito do Senhor ainda, através de sua pena inspirada diz: Os que são herdeiros de Deus e co-herdeiros de Cristo, da herança imortal, são peculiares. Sim, tão peculiares que Deus coloca sobre ele um sinal de que são Seus, inteiramente Seus. Pensais que Deus receberá, honrará e reconhecerá um povo tão misturado com o mundo que em nada difere dele a não ser no nome? Lede novamente Tito 2:3-15. Em breve se saberá quem está do lado do Senhor, quem não se envergonhará de Jesus. Aqueles que não têm coragem moral para conscienciosamente tomar sua posição perante os incrédulos, para abandonar as modas do mundo e imitar a vida abnegada de Cristo, envergonham-se dEle e não Lhe apreciam o exemplo. (Testemunhos para a Igreja Vol. 1, pág. 311).
    Logo vê-se que nossos opositores precipitam-se em dizer coisas que não é concernente com os propósitos de Deus, a seus filhos, através de sua serva, que lhe serviu através da direção, guia e inspiração do Espírito Santo, assim, como também seus escritos em nada vem desabonar o que diz o Senhor Deus em sua palavra. Os trechos acima por si só já o confirmam. Deveriam estes procurarem estudar diligentemente as Sagradas Escrituras, para conhecerem de fato o propósito e a vontade de Deus em suas vidas.
    Que Deus os abençoe!!!


  10. Como sempre os extremos são desvios do caminho,por esses dois meios tem o inimigo da igreja descredibilizado o povo de Deus e sua palavra.A Biblia é a unica autoridade de fé,incontestavelmente,mas mesmo por um extremo zelo,ou por a total falta dele ela é descredibilizada por os descrentes.Esta a palavra de Deus errada,ou o modo de interpreta-la?perde ela seu valor por essa falsa representação? é certo que não,quem a disvirtua plo seu mau exemplo será responsabilizado.Assim falo dos escritos do espirito de profecia.Pelos dos extremos é ele posto em causa,porquê?porque o diabo sabe a sua importancia,como ajudam mt na melhor compreenção da palavra de Deus,a luz menor que aponta para a maior.Se nós estamos a dar mais atenção ao espirito de profecia que á biblia por termos outros livros que não a biblia e os usarmos porque tem outras igrejas seus livros e suas publicações,não deviam ler só a biblia?Porquê mesmo até alguns dos nossos preocupam-se mais em lançar descredito sobre o espirito de profecia que a falar da biblia?Se tivessem tanto zelo pela palavra de Deus preocupavam-se exclusivamente em promove-la em vez de derrubarem algo que ao contrario do que dizem promove o estudo e compreenção da palavra que é o real propósito do espirito de profecia.


  11. Que a Paz do Mestre Jesus, o Cristo, esteja sobre nós.
    “Pois assim diz o Senhor dos exércitos: Para obter a glória Ele me enviou às nações que vos despojaram; porque aquele que tocar em vós toca na menina do seu olho.”(Zacarias-2:8.)
    A palavra profecia quer dizer previsão de algo no futuro, Deus usou e usa seus servos denominados profetas para revelar o futuro da raça humana com o decorrer dos tempos.
    “E temos, mui firme, a palavra dos profetas, à qual bem fazemos em estar atentos, como uma luz que alumia em lugar escuro, até que o dia esclareça, e a estrela da alva apareça em vossos corações.” ( 2-Pedro 1:19 ) .
    “Porque a profecia nunca foi produzida por vontade dos homens, mas os homens da parte de Deus falaram movidos pelo Espírito Santo.”(2-Pedro-1:21.)
    E nos últimos dias Deus o Eterno suscitará Seu Espírito e crianças, jovens, velhos, movidos pelo Espírito Santo profetizarão. E nem por isso terão menos crédito que os profetas do passado; porque é o mesmo Espírito Santo que revelou tais verdades.
    “Acontecerá depois que derramarei o meu Espírito sobre toda a carne; vossos filhos e vossas filhas profetizarão, os vossos anciãos terão sonhos, os vossos mancebos terão visões; e também sobre os servos e sobre as servas naqueles dias derramarei o meu Espírito.” (Joel-2:28,29.)

    “Calai-vos diante de mim, ó ilhas; e renovem os povos as forças; cheguem-se, e então falem; cheguemo-nos juntos a juízo. Quem suscitou do Oriente aquele cujos passos a vitória acompanha? Quem faz que as nações se lhe submetam e que ele domine sobre reis? Ele os entrega à sua espada como o pó, e ao seu arco como pragana arrebatada pelo vento. Ele os persegue, e passa adiante em segurança, até por uma vereda em que com os seus pés nunca tinha trilhado.
    Quem operou e fez isto, chamando as gerações desde o princípio? Eu, o Senhor, que Sou o primeiro, e que com os últimos Sou o mesmo.
    As ilhas o viram, e temeram; os confins da terra tremeram; aproximaram-se, e vieram. Um ao outro ajudou, e ao seu companheiro disse: Esforça-te.
    Assim o artífice animou ao ourives, e o que alisa com o martelo ao que bate na bigorna, dizendo da coisa soldada: Boa é. Então com pregos a segurou, para que não viesse a mover-se.
    Mas tu, ó Israel, servo Meu, tu Jacó, a quem escolhi, descendência de Abraão, tomei desde os confins da terra, e te chamei desde os seus cantos, e te disse: Tu és o Meu servo, a ti te escolhi e não te rejeitei; não temas, porque Eu sou contigo; não te assombres, porque Eu sou teu Deus; Eu te fortaleço, e te ajudo, e te sustento com a destra da minha justiça.
    Eis que envergonhados e confundidos serão todos os que se irritam contra ti; tornar-se-ão em nada; e os que contenderem contigo perecerão.
    Quanto aos que pelejam contigo, buscá-los-ás, mas não os acharás; e os que guerreiam contigo tornar-se-ão em nada e perecerão.
    Porque Eu, o Senhor teu Deus, te seguro pela tua mão direita, e te digo: Não temas; Eu te ajudarei.” (Isaías-41:1 a 13.)
    Shalom…


  12. Puxa…por quê o ser humano complica as coisas?
    Em 1º é importante saber o significado exato da palavra seita, o que não cabe aos Adventistas do Sétimo Dia. As pessoas são livres (ainda em alguns pontos deste Planeta) de crerem e professarem sua fé.
    A IASD por ter um culto racional não faz nenhum tipo de culto emocional que leva seus fiéis a estados de extâses. Hoje sabemos q há cursos p/ levar platéias inteiras a um extâse coletivo. Isso se chama técnica e não, Espírito Santo. Pessoas estão sendo induzidas a terem um comportamento q não desejam, q não escolhem.Apenas liberam emoções presas, muitas vezes de maneira a ficarem constrangidas depois.P/ isso é melhor uma sessão de psicodrama, ao menos somos conscientes das técnicas.Está sendo uma escolha nossa.
    Deus também não deixou nenhum compêndio de técnicas a serem cumpridas.Eu mesma quando comecei a ler a Bíblia esperava (na minha limitação e ignorância sobre Sua vida) encontrar técnicas respiratórias e posições q nos despertasse à consciência (pois era esotérica).Tudo q encontrei foram histórias de justiça e amor. E no seu caminhar Jesus nos ensinou a sermos humildes e mais….a não sermos preconceituosos sobre um assunto.E é isso que Ele espera de nós. Mas é somente qdo nos tornamos dependentes Dele é q vamos conseguindo tais proezas. Pois cristãos é como qq ser humano,,cheio de falhas.
    Nenhum Adventista é obrigado a deixar jóias, etc. Se nos despimos disto é porque concordamos q isso é o melhor p/ nós. Respeitar essa norma é trazer unidade à Igreja.P/ aqueles q são da IASD, não estamos lá p/ olhar se a cultura do mundo está adentrando nossas igrejas.A minha história é c/ Deus e não c/ os membros da Igreja (nesse caso, é claro).Ellen White tbém profetizou e nos alertou q nos últimos tempos à Igreja estaria em conformidade c/ o mundo. Ela também disse q Igrejas inteiras Adventistas não seriam salvas. O conhecimento nós temos. Compete a nós colocarmos em prática e desejarmos (no coração) essa mudança em nós primeiramente. Falar a toda a hora “Jesus Vai Voltar” parece q está ficando banalizado e as pessoas não estão se preparando p/ isso. A ordem é para nos prepararmos. E muitas vezes falar nisso, p/ alguns, tem parecido fanatismo.
    Falar a Verdade, seja Bílbica ou através dos ensinos de Ellen White, muitas vezes chega a nos irritar, pois não queremos enxergar nosso erro.Ninguém quer.É deconfortável p/ mim,p/ vc.Mas a Palavra de Deus tbém é p/ correção.Isso não quer dizer tbém q quem fala em nome da Verdade não comete faltas .Por ser um site q aborda muitas mulheres. Gostaria de deixar algumas perguntas:
    Enquanto um irmão (a) critica a roupa, a maquiagem, enfim,o visual da tal irmã…será q não é solidão dessa irmã? Uma fase de baixa autoestima? Será q seu esposo deixou de elogiá-la e ela tem se sentido mal amada? Será q seu esposo têm olhado demais p/ outras mulheres e ela tem se sentido “ei,estou perdendo terreno e o jeito é caprichar no visual?” Não estou c/ isso justificando o erro, mas esse é o momento do indivíduo c/ Deus e ele pode inclusive c/ isso, correr o grande risco de abrir uma brecha p/ cd dia mais Satanás adentrar à sua vida.
    Kelda, concordo c/ vc em alguns aspectos…mas as bênçãos materiais (muitas) também vêm de Deus, E.Whithe, num de seus livros também nos fala de como devemos ter nossa casa, inclusive sobre utensílios q facilite a vida da mulher dando-lhe mais conforto da lida doméstica. Este mundo q vivemos sempre será cheio de desigualdades infelizmente. E c/ certeza, mesmo dentro de nosso meio há a questão de status. Mas p/ entrar no Céu felizmente não haverá uma fila de Adventistas e tantas outras denominações.Nesse dia quem tanto abraçou o status, ficará de fora como um animal frágil q tenta fugir de seu habitat q está em fogo, mas não consegue.
    Que a paz de Deus seja conosco nos dando cd dia mais discernimento das coisas q agradam mais a Ele. E q humildemente nos acheguemos a Ele p/ nos ajudar onde somos falhos p/ com nosso próximo.


  13. Queridos irmãos, bom dia.

    Fraternalmente lhes digo que a proibição de usar brinco e cordões é doutrina humana. Por que estou afirmando isso? Porque se formos abrir a Bíblia:

    a)Em Gênesis 24:29-30 (pendentes e pulseiras; e no versículo 47 pendentes no rosto e as pulseiras em suas mãos) tudo está relacionado a Rebeca cuja união foi abençoada por Deus;

    b)Em Gênesis 41:42 lemos que o faraó pôs um cordão de ouro no pescoço de José;

    c)Em Daniel 5:29: foi posto uma cadeia de ouro no seu pescoço do Profeta Daniel; e por fim;

    d)Em Cantares 1:10 lemos que: “ Agradáveis são as tuas faces entre os teus enfeites, o teu pescoço com os colares’.

    Podemos perceber então que Rebeca, José do Egito e o profeta Daniel foram abençoados por Deus! A primeira usou pulseiras, brincos e cordões. E os segundos, José do Egito e o profeta Daniel usaram cordões!

    Portanto o uso do cordão, o uso de brinco e pulseira não é proibido pela Bíblia!

    Não estou defendendo ou indo contra o uso de brincos, pulseiras e cordões, mas mostrando-lhes que pela Bíblia não há base para tal proibição; a qual, salvo engano da minha parte, a IASD aplica, inclusive para não batizar seus membros.

    Se estiver errado, muito feliz ficaria com vossas explicações.

    Um abraço fraternal.

    Ricardo.


  14. Olá Ricardo! FIquei muito feliz em ver seu comentário, pois suas palavras se basearam no “assim diz o Senhor”, de forma curta e direta.

    Bom, tentarei ser curta e direta também! =)

    De fato na Bíblia não encontramos nenhum texto em que Deus diga que é proibido usar cordão, brinco ou pulseira. Mas, isso não significa que essa “proibição” seja doutrina humana. A IASD tem a Bíblia como única regra de fé e prática, e tem também um conjunto de escritos proféticos, por nós chamados “Espírito de Profecia” cujo conteúdo tem por propósito auxiliar nosso entendimento Bíblico, principalmente no que diz respeito a época em que vivemos.
    Pois bem, apesar de não encontrarmos nenhuma orientação específica na Bíblia que proiba o uso de jóias, como temos outras instruções sobre alimentação, casamento, etc… encontramos no Espírito de Profecia essa orientação quando se trata do assunto da modéstia cristã. Tendo em vista que o conteúdo do Espírito de Profecia foi inspirado por Deus, toda orientação contida nesses escritos, é, para nós, uma orientação divina.

    Gostaria apenas de fazer mais duas colocações. Com relação aos textos citados, encontramos muitos personagens bíblicos que usaram jóias. Encontramos também, vários personagens que tiveram mais de uma mulher, por exemplo. Apesar de Deus não aprovar a poligamia, ele abençoou, por exemplo Ismael, abençoou so filhos de Jacó (inclusive suas 12 tribo constituiram o povo de Deus durante muito tempo). O fato de Deus abençoar alguém não significa que ele aprova todos os atos desse alguém. A luz que foi dada aos homens é progressiva. O que era exigido de Abraão é diferente do que foi exigido de Paulo e do que nos é exigido hoje. Ao longo dos anos Deus foi revelando cada vez mais sua vontade e, portanto, nos passa a ser exigido agir de acordo com a luz q temos.
    Minha segunda colocação é: No apocalipse encontramos duas mulheres, uma que representa a igreja de Deus (apocalipse 12) e uma que representa a Igreja do inimigo de Deus (apocalipse 17). É clara a diferença que existe entre uma e outra. Uma se adorna com a justiça de Deus e a outra com jóias e enfeites. Vale a pena refletir sobre o porque de a mulher de apocalipse 12 não estar adornada com jóias, e sim a meretriz! 🙂

    Abraços! Deus o abençoe!


  15. Querida irmã Karyne, boa noite.

    Muito obrigado pela atenção e por seus comentários.

    Fraternalmente quero te dizer que não estou argumentando contra ou a favor do uso de brincos, mas tão-somente chamando atenção para o fato de que é complicado formar um ponto de vista bíblico – sem verificar o contexto e a situação social e cultural – enfatizando tão-somente as proibições do uso de adorno.

    Se a Bíblia não for estudada com a devida atenção, os versos bíblicos poderão ser usados das mais variadas formas, seja contra ou a favor de um determinado pensamento.E isso não é correto!

    As denominações e até as pessoas, por mais sinceras que sejam, podem estar cometendo terrível erro bíblico ao querer padronizar comportamentos e julgar o que é ou não vaidade, lendo ou dando importância, mais uma vez ressalto, só às proibições.

    Há também a possibilidade e perigo, por culpa nossa, só nossa, de querer tornar a Bíblia um livro contraditório, quando este não é.

    Para melhor exemplificar o que quero problematizar e indagar, vou citar dez versos bíblicos que se mostram hostis ao uso de adornos.

    1 – Em Ezequiel 23:38-43 – Também um relato simbólico, o povo de Deus aparece como duas mulheres que profanaram o Sábado, idolatraram, chamaram amantes e por eles pintaram os olhos e colocaram enfeites; os beberrões do deserto lhes deram braceletes e diademas e elas adulteraram.

    2 – Em Isaías 3:16 a 26 – Neste capítulo é mostrado a ligação simbólica dos adornos vãos com a apostasia.

    3 – Oséias 2:13 – Deus diz a origem dos enfeites para o seu povo rebelde: “Pendentes de Baal e suas gargantilhas”.

    4 – II Reis 9:30 – refere-se a Jezabel, a apóstata, que pintou os olhos e se adornou para seduzir.

    5 – Em Gênesis 35: 1 a 5 – Exemplo literal de que o abandono dos enfeites e da idolatria se relaciona com a reconsagração a Deus.

    6 – I Timóteo 2:9-10 –“Que do mesmo modo as mulheres se ataviem em traje honesto, com pudor e modéstia, não com tranças, ou com ouro, ou pérolas, ou vestido preciosos, mas (como convém as mulheres que fazem profissão de servir a Deus) com boas obras.”

    07- (I Pedro 3:1-5) “O enfeite deles não seja o exterior, no frisado dos cabelos, no uso de jóias de ouro, na compostura de vestidos.” (verso 3)

    Poderíamos citar ainda, exemplos da ira de Deus, eis aqui: 08-(Jeremias 2:32-35; 09-(Ezequiel 7:20)e 10-(Jeremias 4:30.

    CPorém em que contextos que o uso de adornos e enfeites foram condenados? O erro estava nos enfeites ou nas intenções das pessoas? Um cordão tem pecado? um brinco tem pecado? Uma pulseira tem pecado? Claro que não! O erro está na vaidade, idolatria, vaidade etc. Não no uso do cordão, do brinco ou da pulseira.

    Agora vejamos como é interessante a Bíblia. Por quê? Porque ela não pode ser contraditória. O que é errado. É errado e ponto final!

    Como analogia, vejamos os exemplos abaixo:

    a) O roubo de um pão. Pois bem o que é errado é o roubo, não é o pão.

    b) A compra de um produto furtado. O que é errado, é o furto; não o produto.

    c) A oferta para fins de exibição numa igreja. A oferta é correta. Todavia não a exibição.

    d) Ajudar o próximo com fins de exaltação e promoção pessoal. Pois bem, ajudar o próximo é dever do cristão e agrada a Deus. Porém a exaltação e promoção pessoal e é pecado.

    Do mesmo modo, o erro não está no cordão, brinco ou pulseira. Entretanto haverá erro, se o uso for feito para exaltar-se; com o objetivo de vaidade pessoal.

    Se formos usar e aceitar a premissa da vaidade de forma ampla – o que é muito complicado julgar – isso deverá se aplicar a tudo: relógio, carro, roupas, casa, restaurante, perfume, desodorante, livros e por aí vai. Dai achar exagerado impor padrões que não são bíblicos, Por quê? Por não observarem o contexto e a cultura em que se deram; fazendo com isso que se venha, até a impedir uma pessoa de batizar-se ou fazer parte de uma dada Igreja.

    Pois bem, citei 10 versos bíblicos contrários ao uso de adornos.

    Agora citarei aproximadamente 18 versos bíblicos que não condenam o uso de adornos.

    Em Gênesis 24:47 está escrito: “Daí lhe perguntei: De quem és filha? Ela respondeu: Filha de Betuel, filho de Naor e Milca. Então lhe pus o pendente no nariz e as pulseiras nas mãos”. No versículo acima, vemos que Rebeca recebeu, dentre outras coisas, um pendente (brinco) no nariz. Isso parece estranho nos dias atuais; no entanto, nos tempos antigos, as mulheres usavam brincos tanto nas orelhas como no nariz. Rebeca, que mais tarde viria se tornar a esposa de Isaque, era uma mulher de Deus e, no entanto, ela usou jóias (brincos e pulseiras). Então, a Bíblia proíbe o uso de jóias? A resposta é NÃO.

    Em Gênesis 24:53 está escrito: “E tirou o servo jóias de prata e jóias de ouro, e vestidos, e deu-os a Rebeca; também deu coisas preciosas a seu irmão e à sua mãe”. Atentem para o seguinte fato: Rebeca recebeu jóias de prata e jóias de ouro, além de vestidos, é claro. Então, a Bíblia proíbe o uso de jóias? Mais uma vez: NÃO.

    Em Gênesis 41:42 está escrito: “ E tirou Faraó o anel de sua mão e o pôs na mão de José, e o fez vestir de vestidos de linho fino, e pôs um colar de ouro no seu pescoço”. José, filho preferido de Jacó, era um homem de Deus? Sem dúvida alguma e, no entanto, ele usou jóias (anel e colar). Então, a Bíblia proíbe o uso de jóias? É claro que NÃO.

    Em Números 31:50 está escrito: “Pelo que trouxemos uma oferta ao Senhor, cada um o que achou, vasos de ouro, cadeias, braceletes, anéis, arrecadas e colares, para fazer propiciação pelas nossas almas perante o Senhor”. Neste versículo foram trazidos jóias como ofertas para o Senhor: braceletes, anéis e colares. Se o uso de jóias fosse pecado, Deus não teria aceitado os braceletes, anéis e colares como ofertas a Ele. Então, a Bíblia proíbe o uso de jóias? Absolutamente NÃO.

    Em Êxodo 35:22 está escrito: “ E assim vieram homens e mulheres, todos dispostos de coração; trouxeram fivelas, e pendentes, e anéis, e braceletes, todo o vaso de ouro; e todo homem oferecia oferta de ouro ao Senhor”. Neste versículo, vemos que foram oferecidos, dentre outras coisas, pendentes (brincos), anéis e braceletes, como ofertas para a construção do Tabernáculo. Se estas jóias fossem algo de natureza pecaminosa, Deus não os teria aceitado e não permitiria que eles fossem utilizados para a construção de algo tão santo quanto o Tabernáculo. Então, a Bíblia proíbe o uso de jóias? Sem dúvida alguma: NÃO.

    Ratifico que foi colocado cordão no profeta Daniel e que a rainha Ester, é fácil pressupor pela cultura babilônica, também fez uso de jóias etc. Daí vemos mais uma vez que a Bíblia não proíbe o uso de cordão, jóias etc.

    Êx. 3: 21-22- Deus diz que quando os israelitas saíssem da escravidão no Egito pedissem aos egípcios jóias e roupas para seus filhos usarem. Isso não aconteceria se os israelitas não usassem jóias e se Deus fosse contra as mesmas.

    · Êx. 35 4-5, 20-22, 30- 36:3- Veja que os objetos do Santuário que Deus mandou Moisés construir para ser sua casa de adoração, foram feitos cm as jóias do povo. Se jóias fossem algo pecaminoso Deus as usaria na Sua casa?

    · Nm. 31: 50- aqui encontramos as jóias do povo sendo usadas como oferta expiatória para Deus. Deus aceitaria como oferta algo pecaminoso?

    · Jó 42: 11- Como presente dos seus amigos após sua restauração Jó o homem justo e temente a Deus (Jó 1:1), recebe um monte de anéis. Para que isso se ele não usasse?

    · Pv. 1:8-9- O escritor de provérbios compara o ensino que é uma coisa muito boa, com diademas e colares, ou seja, compara com adornos, enfeites. Isto mostra que para ele os enfeites eram coisas importantes e boas. E não podemos esquecer que ele escrevia inspirado pelo Espírito Santo.

    · Pv. 25:12- Uma pessoa sábia é comparada com jóias e brincos de ouro.

    Cantares 1:10-11: Agradáveis são as tuas faces entre os teus enfeites, os teus pescoços com os colares”

    · Is. 61:10- Jerusalém é representada como se fosse uma mulher,que está recebendo as bênçãos de Deus (3), e estas bênçãos são comparadas com enfeites, com as jóias de uma noiva.

    · Ez. 16: 1-14- Este texto é maravilhoso e esclarecedor. Deus compara Jerusalém com uma mulher, e como se Ele fosse um esposo que está feliz com sua mulher, lhe dá todo tipo de jóias, e ainda diz que ela enfeitada está com a gloria dele refletida (14).

    · Ap. 21: 1-2- a Nova Jerusalém, que é um símbolo da Igreja glorificada, é comparada a uma noiva quando se enfeitava (adornava) para o casamento.

    O argumento da verdade progressiva é verdade que existe, mas veja bem que há muitos casos, muitos versos bíblicos, em que a proibição e o uso de de brincos se confundem e se alternam contra e a favor do uso de adornos! Daí que a verdade progressiva na questão dos adornos é algo que não se aplica! O que deve se aplicar é o contexto e o momento social.

    Há algumas pessoas sinceras que citam Is. 3: 16-26 – As vezes alguns mais desavisados também usam estes versículos para manter suas proibições. É um uso mal feito, pois aqui se estivesse proibindo as jóias para as mulheres, estaria proibindo também:

    · Véus (19);

    · Cintos (20);

    · Anéis (21);

    · Roupas caras, capas, bolsas (22);

    · Espelhos, roupas de linho, xales (23);

    · Perfumes, penteados, roupas caras (24).

    Por que as pessoas que usam esta passagem para proibir as jóias, não proíbem as outras coisas?

    Na realidade o profeta Isaías está dando uma sentença contra as mulheres de Jerusalém (16), dizendo que Deus iria tirar tudo o que cita delas, não porque aquilo fosse pecado, mas porque elas estavam cometendo outro pecado, o pecado da arrogância, do orgulho (16). A retirada de todos estes objetos delas seria uma forma de castigo, tudo seria parte do julgamento de Deus sobre Jerusalém da qual fala todo este capítulo 3. Temos aqui um fato circunstancial, referente a situação das mulheres de Jerusalém, um fato descritivo (descreve um acontecimento), e não prescritivo (não prescreve, nem ordena uma doutrina). Contrate esta passagem com Ez. 16: 1-14, onde Deus feliz com Jerusalém lhe dá jóias de todos os tipos e roupas finas como bênção. Tirar os ornamentos para o povo de Israel era sinal de tristeza (Ex. 33:1-6); receber ornamentos era sinal de bênçãos (Is. 61: 10; Ap. 21:1-2).

    Outra passagens citadas são 1Tm. 2: 9-10; 1Pd. 3:1-4 – Estas duas passagens também têm sido usadas por alguns para proibir os adornos femininos, mas não é esta a essência do que está escrito.

    1- No primeiro texto (1Tm. 2: 9-10) o apóstolo Paulo não está proibindo o uso de jóias, nem os penteados para as mulheres, ele está fazendo um contraste entre dois tipos de beleza, a interior e a exterior. Ele diz que a verdadeira beleza não deve está por fora, nas jóias e ornamentos que as mulheres usavam, mas por dentro, na espiritualidade, na santidade. A mulher não deveria pensar em se enfeitar e se esquecer da parte espiritual, deve fazer uma, mas faça principalmente a outra. Ele reflete sobre as prioridades do cristão, como em 1Tm. 4:8: “Porque o exercício corporal para pouco aproveita, mas a piedade para tudo é proveitosa, tendo a promessa da vida presente e da que há de vir”. É claro que Paulo não desaconselha o exercício físico, mas mostra que a pessoa deve se exercitar na santidade antes de tudo. Toda leitura de um texto assim deve ser feita com cuidado, levando em seu contexto, se não for assim iríamos achar que o apóstolo estaria proibindo o casamento em 1Co. 7:27: “Estás ligado à mulher? Não busques separar-te. Estás livre de mulher? Não busques mulher”, mas, não é isso que ele faz.

    Por fim, quero citar novamente Ap. 21: 1-2- em que a Nova Jerusalém, que é um símbolo da Igreja glorificada, é comparada a uma noiva quando se enfeitava (adornava) para o casamento.

    Querida irmã, devemos ter cuidado em não adotar a analogia simbólica de forma errada para criar um costume ou impor uma norma que a Bíblia não proíbe, uma vez que biblicamente não há base para proibir o uso de brincos e nem para impedir batismo ou agregação de uma pessoa à Igreja.

    Um abraço fraternal e que Deus continue a abençoá-la ricamente, em nome de Jesus.

    Ricardo.


  16. Olá Ricardo,
    mais uma vez, obrigada por colaborar com bons argumentos, e espírito manso! =D

    Como tentei deixar claro no comentário anterior, o irmão está correto quanto à não podermos usar a bíblia pra impor proibição do uso de jóias. A comparação que fiz não foi uma tentativa de dizer q aquilo que estava comparando era uma regra bíblica clara sobre o uso de jóias. Se algum adventista do sétimo dia tentar usar somente a bíblia para dizer q o uso de jóias é proibido, esse argumento será fraco pra mim, porque conheço a bíblia do início ao fim, dedico-me diariamente ao seu estudo, e sei que não é assim.

    A progressividade da luz, para nós, adventistas, se aplica a esse tema sim. Isso porque temos luz sobre o assunto a partir do Espírito de Profecia. Mas isso exige conhecimento e crença na inspiração divina dos escritos de Ellen White. Se o amigo não tiver preconceito, sugiro que leia alguns livros dela para conhecer por você mesmo que não é nenhum bicho de 7 cabeças como muitos cristãos pensam. =)

    Ainda assim a forma como ela escreve não é impositora e agressiva.

    Por fim, a questão central é o que vai no coração. E aí o irmão colocou muito bem o uso de outras coisas. Eu digo, inclusive, que se uma mulher se veste de forma totalmente modéstia, com um coração orgulhoso por isso, assim como o fariseu orava orgulhoso no relato bíblico de Jesus de nada serve seu vestir modesto a não ser o fato de que não gera escândalo para outros. Em muitos posts temos escrito sobre a necessidade de cada um analisar seu próprio coração. Não recebi autoridade divina pra julgar ninguém quanto a assunto nenhum, inclusive uso de jóias. Devo somente analisar meu próprio coração, se o sapato que compro, se o cinto que uso não é uma forma de exautação própria e alimentação da vaidade, ou uma forma de adorar ao Deus do universo, que é adorado inclusive no meu modo de vestir. =)

    Abraços

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.