Como você sai da Igreja?

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

Semana após semana vamos à Igreja, ouvimos sermões… e como saímos de lá? É comum ouvir as pessoas orarem no início do culto pedindo a Deus “que saiamos daqui melhor do que chegamos”. Será que esse pedido se torna realidade?

Uma das formas que temos de encontrar resposta para essa pergunta é avaliando o teor de nossos pensamentos e conversas ao final do culto. Infelizmente, no pátio da Igreja, ao final do culto, ovimos de tudo (futebol, moda, trabalho, política, etc.), mas pouco ouvimos de Jesus e de como a mensagem do dia transformou algo em nossas vidas.

O mesmo acontece no caminho para casa, quando não raramente o que se fala acerca do culto está muito mais relacionado às pessoas que à mensagem.”Você viu a roupa do pregador?”, “Nossa, fulana cantou tão bem!”, “Fulano é sempre extremista”, e muitas outras falas são comuns a esse momento pós culto!

Infelizmente isso é reflexo de uma adoração deficiente e de rituais vazios. Pessoas entram e saem da Igreja e parecem não ter tido um encontro com Deus. Moisés se encontrava com Deus e o povo sequer podia olhar sua face, pois resplandecia. Nós vamos à Igreja toda semana, mas nossos vizinhos não percebem diferença nenhuma em nós, as pessoas passam por nós na rua e não fazem a menor idéia de que acabamos de sair da Casa de Deus. Isso me faz entender que há algo muito errado acontecendo!

Um episódio como esse aconteceu a cerca de 2000 anos atrás. Você conhece essa história, mas talvez nunca tenha analisado ela por esse ângulo.

“E, regressando eles, terminados aqueles dias, ficou o menino Jesus em Jerusalém, e não o soube José, nem sua mãe.” Lucas 2:43. Você já parou para pensar na razão pela qual José e Maria esqueceram-se de Jesus? Já parou para pesquisar por que Jesus não seguiu viagem com seus pais?

O Espírito de Profecia nos explica muito bem o que aconteceu:
“Ao ser-Lhe Sua missão revelada no templo, Jesus Se esquivou ao contato da multidão. Desejava voltar de Jerusalém quietamente, com os que sabiam o segredo de Sua existência. Mediante a cerimônia pascoal, Deus estava procurando desviar Seu povo dos cuidados terrenos que tinham, e fazê-lo lembrar a maravilhosa obra que fizera em sua libertação do Egito. Desejava que vissem nessa obra uma promessa de libertação do pecado. Como o sangue do cordeiro morto protegera os lares de Israel, assim lhes salvaria a alma o sangue de Cristo; mas eles só se podiam salvar por meio de Cristo, apoderando-se, pela fé, de Sua vida, como sendo deles mesmos. Só havia virtude no simbólico cerimonial, ao serem os adoradores por ele dirigidos a Cristo como seu Salvador pessoal. Deus desejava que fossem levados a estudar a missão de Cristo, e sobre ela meditar com oração. Ao partirem de Jerusalém, as multidões, no entanto, o despertar da viagem e a comunicação social absorviam freqüentemente a atenção deles, e era esquecido o cerimonial que acabavam de testemunhar. O Salvador não foi atraído para a companhia deles.” O Desejado de Todas as Nações, p. 82.

Observe bem essa parte final: “Ao partirem de Jerusalém, as multidões, no entanto, o despertar da viagem e a comunicação social absorviam freqüentemente a atenção deles, e era esquecido o cerimonial que acabavam de testemunhar.” As pessoas deveriam sair da Festa da Páscoa com o coração cheio de amor e gratidão por Aquele que haveria de morrer pelos seus pecados. Contudo, voltavam para seus lares alheios, sequer pensando em todo o simbolismo envolvido na festa.

“Se José e Maria houvessem firmado a mente em Deus, mediante meditação e oração, teriam avaliado a santidade do depósito que lhes era confiado, e não teriam perdido de vista a Jesus. Pela negligência de um dia perderam o Salvador; custou-lhes, porém, três dias de ansiosas buscas o tornar a encontrá-Lo. O mesmo quanto a nós; por conversas ociosas, por maledicência ou negligência da oração, podemos perder num dia a presença do Salvador, e talvez leve muitos dias de dolorosa busca o tornar a achá-Lo, e reconquistar a paz que perdemos.” O Desejado de Todas as Nações, p. 83.

Será que temos feito como José e Maria? Será que temos perdido Jesus de vista? Essa me parece ser a razão pela qual saímos dos cultos sem sermos transformados. Essa me parece ser a razão pela qual ouvimos sermão após sermão, e não atendemos verdadeiramente aos apelos de Deus!

“Em nossas relações uns com os outros, devemos estar atentos para não perder a Jesus, continuando o caminho sem nos advertir de que Ele não Se acha conosco. Quando nos absorvemos em coisas mundanas, de maneira que não temos um pensamento para Aquele em quem se concentra nossa esperança de vida eterna, separamo-nos de Jesus e dos anjos celestiais. Esses santos seres não podem permanecer onde a presença do Salvador não é desejada, e Sua ausência não é sentida. Eis porque tantas vezes se faz sentir o desânimo entre os professos seguidores de Cristo.
Muitos assistem a cultos e são refrigerados e confortados pela Palavra de Deus; mas, devido à negligência da meditação, vigilância e orações, perdem a bênção, sentindo-se mais vazios do que antes de a receberem. Sentem freqüentemente que Deus os tem tratado duramente. Não vêem que a falta está com eles mesmos. Separando-se de Jesus, afugentaram a luz da Sua presença.” O Desejado de Todas as Nações, p. 83.

Queridos! O meu sincero desejo é que nossa vida seja transformada pela contemplação de Cristo. Que possamos manter nosso olhar fixo em Jesus, pois é Ele quem nos transforma, é Ele quem dá sentido à adoração!

7 Comentários


  1. Boa tarde Karyne.

    Estou divulgando o seu site em minha igreja e para minhas amigas. Estão amando!

    Esse texto é ótimo para reflexão, pois em muitos lares o almoço de sábado é o tal falar à toa. Espero que este texto nos ajude a mudar de atitude e termos sempre Jesus à vista para podermor alcançar o lar eterno! Abraços e um Feliz Sábado!


  2. sabe infelizmente os nossos olhos estão na cabelo e trajes dos irmaos, no andar no falar nos gestos etc… se toda vez que saimos de casa com pensamentos de ouvir a voz do Senhor em cada culto,pedir com fé, sairemos de lá vazios e cheios de poder,podemos até sair arrazados, mais purificados em saber que temer a DEUS não é ter medo, sim respeito em saber que Ele é poderoso, e ouvir nossas suplicas e responde nossos clamores,bastamos nos desvaziar de nós e dar lugar, para isso vim acontecer.


  3. Que a Paz do Mestre, Jesus O Cristo esteja entre nós.
    “Se desviares o teu pé de profanar o sábado, e de cuidar dos teus próprios interesses no Meu santo dia, mas chamares ao sábado deleitoso, e santo dia do Senhor, digno de honra; e o honrares, não seguindo os teus caminhos, não pretendendo fazer a tua própria vontade, nem falando palavras vãs; então te deleitarás no Senhor, e Eu te farei cavalgar sobre as alturas da terra, e te sustentarei com a herança de teu pai Jacó; porque a boca do Senhor o disse.”Isaías-58:13,14.
    “ Esta é a razão por que o Senhor não pode comunicar a Sua igreja a plenitude de Sua bênção. Honrá-los de maneira distinta perante o mundo seria pôr o Seu selo sobre suas obras, confirmando a falsa representação que fazem de Seu caráter. Quando a igreja sair do mundo, separando-se de suas máximas, hábitos e práticas, o Senhor Jesus trabalhará com Seu povo; Ele derramará Seu Espírito em grande medida sobre eles, e o mundo conhecerá que o Pai os ama. Será que o povo de Deus continuará a estar tão entorpecido pelo egoísmo? Sua bênção paira sobre eles, mas não pode ser concedida em sua plenitude por estarem tão corrompidos com o espírito e as práticas do mundo. Há orgulho espiritual entre eles; e se o Senhor operasse como Seu coração anela fazer, isso apenas tenderia a confirmá-los em sua presunção e exaltação do próprio eu.” E Recebereis Poder – Meditação Matinal pág: 292.
    “Eis que a mão do Senhor não está encolhida, para que não possa salvar; nem surdo o seu ouvido, para que não possa ouvir; mas as vossas iniquidades fazem separação entre vós e o vosso Deus; e os vossos pecados esconderam o seu rosto de vós, de modo que não vos ouça.
    Porque as vossas mãos estão contaminadas de sangue, e os vossos dedos de iniquidade; os vossos lábios falam a mentira, a vossa língua pronuncia perversidade.”Isaias59:1a3.
    “Quem, Senhor, habitará na tua tenda? quem morará no teu santo monte? Aquele que anda irrepreensivelmente e pratica a justiça, e do coração fala a verdade; que não difama com a sua língua, nem faz o mal ao seu próximo, nem contra ele aceita nenhuma afronta; aquele a cujos olhos o réprobo é desprezado, mas que honra os que temem ao Senhor; aquele que, embora jure com dano seu, não muda; que não empresta o seu dinheiro a juros, nem recebe peitas contra o inocente. Aquele que assim procede nunca será abalado.” Salmos-15:1a4.
    Shalom…


  4. Infelizmente isso acontece e muito..


  5. Que o amor de Deus nos alcance.
    “Esta é uma palavra fiel e digna de aceitação: que Cristo Jesus veio ao mundo, para salvar os pecadores, dos quais eu sou o principal”. I.Timóteo 1: 17.
    Paulo, um judeu exemplar, instruído por um dos melhores mestres de sua época, conhecedor por demais da lei divina e fazia parte do partido dos fariseus. Quando soube que algumas pessoas estavam seguindo um tal de Nazareno – Jesus Cristo – dispôs-se a perseguí-los. Tinha boas intenções, mas estava absolutamente enganado.
    Entendeu isso quando teve o encontro com Jesus na estrada de Damasco e reconheceu algo muito importante: pensava que perseguia os piores pecadores, mas, ele era o pior! Depois que o Espírito Santo passou a moldá-lo ele percebeu que não era tão exemplar quanto pensava.
    Ele próprio explica que, a Jesus, a quem ele perseguia, veio ao mundo para libertar e trazer salvação, de pessoas como ele/Paulo do poder do pecado. Interessante que ele não disse que “era” o pior dos pecadores, mas “SOU”, e, naquela época quando disse isso, já era um grande apóstolo de Jesus.
    Deus além de tê-lo escolhido para levar sua mensagem de salvação aos gentios, o teve também como um exemplo, para demonstrar sua misericórdia pelos os “PIORES” pecadores.
    O amor de Deus não tem limite. Ele alcança os ‘piores pecadores” – aqueles que parecem não ter a mínima esperança de mudança de vida.
    Estes poucos nuances da vida de Saulo e depois Paulo, nos ensina a “NÃO OLHARMOS COM PRECONCEITOS PARA AS PESSOAS, MAS COMPARTILHAR O EVANGELHO COM TODOS”. Nos faz lembrar o quanto fomos susceptível a decadência espiritual e, por conseguinte, moral, pelo o fato de que não conhecíamos a Jesus e seu evangelho e, que ainda incorremos neste risco se deixamos de contemplá-lo.
    Se Ele transformou a vida de Paulo, a minha e de você e, não limitamos a atuação do Espírito Santo, como não poderá também transformar às vidas daqueles que encontramos tantos defeitos?
    Lembremo-nos que Deus está e continuará agindo, mesmo nossa natureza ainda querendo ser má. Ainda somos capazes dos piores erros imagináveis. Precisamos lembrar que “SOMOS OS PIORES PECADORES” quando olharmos para nós mesmos e principalmente para os outros. “TODOS NECESSITAMOS DO AMOR E MISERICÓRDIA DE DEUS”, pois elas são às razões de não sermos destruídos.
    Pior que ser o pior pecador é rejeitar a oferta de transformação pela graça de Deus.
    Que Deus nos abençoe e ajude-nos a contemplá-lo, pois é pela contemplação que somos moldados ao caráter de seu filho amado, refletindo em nossas vidas, sua forma de falar, ver, ouvir, compreender e amar.!!!


  6. Karine gosto das mensagens que vc escreve. esses tipos de conversas acontece muitas vezes porque as pessoas não buscam constantemente a orientação do Espirito Santo. Devemos pedir para o Espirito Santo mente carate e personalidade de Jesus Cristo que Deus abençoe a todos nós amém.


  7. as vezes me sinto triste com a inreverencia na casa de Deus mas procuro sempre me encontra com Deus ouvilo pos e isso que fui fazer e siprico q o espirito santo se faça presente.amem

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.