O que toda mulher deve saber

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

Dias atrás, li um texto muito importante no livro Mente, Caráter e Personalidade, vol.1. Para algumas pessoas, as palavras desse texto são ultrapassadas e não se aplicam aos dias atuais. Para mim, elas são tremendamente atuais e necessárias. Gostaria de dividir com vocês, então, o texto lido, cujo título é exatamente o título desse post:

Muitas senhoras consideradas bem educadas, diplomadas com distinção em alguma instituição de ensino, são vergonhosamente ignorantes dos deveres práticos da vida. São destituídas das qualificações necessárias para a devida regulamentação da família e por isso mesmo essencial a sua felicidade. Podem falar da elevada posição da mulher e seus direitos, porém elas mesmas ficam longe de alcançar a verdadeira posição da mulher.

É direito de toda filha de Eva ter conhecimento completo dos deveres domésticos, receber educação em cada departamento do trabalho caseiro. Toda jovem deve ser educada de tal maneira que, se chamada a ocupar a posição de esposa e mãe, possa governar como uma rainha em seu domínio. Deve ela ser plenamente capaz de guiar e instruir os filhos. …

É seu direito compreender o mecanismo do corpo humano e os princípios de higiene, os assuntos relacionados com o regime alimentar e o vestuário, trabalho e recreação, e outros pormenores sem conta que intimamente dizem respeito ao bem-estar de sua casa. É seu direito obter tal conhecimento dos melhores métodos de tratar as enfermidades que possa cuidar dos filhos quando enfermos, em vez de deixar seus preciosos tesouros nas mãos de enfermeiras e médicos estranhos.

Os costumes do mundo podem mudar. O papel da mulher diante da sociedade secular também. Mas, diante de Deus, existem coisas que nós, mulheres, devemos sempre saber! Espero que esse texto tenha provocado em você uma sincera reflexão, como provocou em mim!

Deus nos abençoe!

10 Comentários


  1. Minha mae sem ter nunca lido um livro de EGW, criou minha irmã e eu nesse caminho.
    Ela sempre dizia, estude, se forme, mas aprenda a cuidar de uma casa…

    Na minha infancia nossa casa sempre teve empregada domestica, mas nós tinhamos nossos afazeres, lembro q eu reclamava, mas hj agradeço minha mãe por ter nos criado assim.

    Tenha meu trabalho, minha formação mas como diz o texto: “Toda jovem deve ser educada de tal maneira que, se chamada a ocupar a posição de esposa e mãe, possa governar como uma rainha em seu domínio. Deve ela ser plenamente capaz de guiar e instruir os filhos”

    Cuidar da casa, do marido, dos filhos é dever de td mulher..nunca repasse a ngm….


  2. Este texto enriquecerá a vida de muitas mulheres que ainda não se deram conta da amplitude da atuação feminina, independente de época, lugar, influências, etc. Apesar de não ter sido criada neste ambiente (se bem que eu gostaria imensamente de receber estas instruções logo cedo na minha vida!) tenho sido aluna na escola de Deus, aprendendo como uma mulher deve exercer a sua função, incluindo direitos e deveres! Somos criadas para trabalhar fora de casa e deixar o nosso lar nas mãos de outras pessoas, que muitas vezes são extremamente cuidadosas e profissionais, mas não deixamos apenas objetos, roupas e móveis nas mãos delas… acabamos deixando momentos em que a família junta estaria desenvolvendo-se em harmonia, desfrutando de situações que podem ensinar muitas lições, concedendo às crianças o prazer de terem responsabilidades, o companheirismo de um casal que pode conversar durante estes momentos caseiros… tanto se perde na busca de mais e mais recursos fora de casa, enquanto o nosso tesouro pode estar ali, do nosso ladinho! Podemos sim, pela graça e Deus, conciliar tarefas do lar e profissional, colocando perante Ele quais são as nossas prioridades e Ele nos ajudará!


  3. Interessante o texto, eu li o mesmo texto no livro O Lar Adventista.


  4. Gostei. Como posso adquirir os livros adventistas?? São vendidos em livrarias ou na igreja?? Abraços.


  5. Tenha meu trabalho, minha formação mas como diz o texto: “Toda jovem deve ser educada de tal maneira que, se chamada a ocupar a posição de esposa e mãe, possa governar como uma rainha em seu domínio. Deve ela ser plenamente capaz de guiar e instruir os filhos”
    +1


  6. Mais um excelente artigo!
    Gostaria de ver mais posts sobre o assunto, mto interessante!
    Creio q este blog já é uma ótima contribuição p/ a formação do verdadeiro perfil da mulher na sociedade!
    Continuem assim, q Deus os abençoe!!!
    Bjoss


  7. As vezes nos mulheres achamos que devemos ter posições reconhecidas pelo mundo para nos sentirmos importantes e esquecemos de nossos maior tesouro, a familia que Deus nos confiou
    Demorei algum tempo, mas percebi que este texto deveria ser a minha prioridade.
    As vezes precisamos de blog como este para vermos que não estamos só nesta jornada.
    parabéns. Profª Karem Dutra


  8. Impedir as Tendências Más
    Que o Amor do Mestre esteja no meio de nós: Maranata.
    “Não hão de as mães desta geração sentir quão sagrada é sua missão e, em vez de competir com seus vizinhos ricos, em suas ostentações, procurar excedê-los na fiel realização da tarefa de instruir os filhos para a vida melhor? Se as crianças e os jovens fossem treinados e educados em hábitos de abnegação e domínio próprio, se se lhes ensinasse que eles comem para viver em vez de viver para comer, haveria então menos doenças e menos corrupção moral. Pouca necessidade haveria de campanhas de temperança, que já são muito reduzidas, se na juventude formadora e modeladora da sociedade, pudessem ser implantados princípios retos com respeito à temperança. Possuiriam então valor e integridade morais para resistir, na força de Jesus, às poluições destes últimos dias. … Pais podem ter transmitido aos filhos tendências ao apetite e paixão, as quais tornarão mais difícil a obra de educar e preparar esses filhos no sentido de serem estritamente temperantes, e terem hábitos puros e virtuosos. Se o desejo de alimento insalubre e de estimulantes e narcóticos lhes foi transmitido como legado dos pais, que responsabilidade terrivelmente solene repousa sobre aqueles, de combater as más tendências que proporcionaram aos filhos! Quão fervorosa e diligentemente devem os pais agir para, com fé e esperança, cumprir seu dever para com a sua infeliz prole!
    Devem os pais tornar sua primeira preocupação compreender as leis da vida e saúde, para que nada façam, no preparo do alimento, ou por meio de qualquer outro hábito, que desenvolva tendências erradas nos filhos. Quão cuidadosamente devem as mães procurar dispor a mesa com o alimento mais simples e saudável, a fim de que os órgãos digestivos não sejam enfraquecidos, desequilibradas as forças nervosas e, por causa do alimento que lhes é apresentado, contraditada a instrução que deviam dar aos filhos! Esse alimento, ou enfraquece ou fortalece os tecidos do estômago, e tem muito que ver com o controle da saúde física e moral dos filhos, que são propriedade de Deus, adquirida por preço de sangue. Que depósito sagrado é confiado aos pais: guardar a constituição física e moral de seus filhos, de modo que o sistema nervoso seja bem-equilibrado e a alma não corra perigo! Os que condescendem com o apetite dos filhos, e não lhes controlam as paixões, reconhecerão o terrível erro que cometeram, ao verem os
    escravos do fumo e da bebida, cujos sentidos se acham embotados, e cujos lábios proferem palavras falsas e profanas. Testimonies, vol. 3, págs. 567 e 568.
    A Cruel Bondade da Condescendência
    Foi-me mostrado que uma grande causa do deplorável estado de coisas existente está em não se sentirem os pais na obrigação de criarem os filhos de modo a conformarem-se com a lei física. As mães amam os filhos com um amor idólatra e condescendem com o seu apetite, quando sabem que isso lhes prejudicará a saúde, acarretando-lhes doença e infelicidade. Essa bondade cruel manifesta-se em grande extensão na geração presente. Os desejos dos filhos são satisfeitos às custas de sua saúde e temperamento feliz, porque no momento é mais fácil para a mãe satisfazê-los, do que negar-lhes aquilo pelo que clamam.
    Assim semeiam as mães a semente que germinará e produzirá fruto. Os filhos não são educados no sentido de negarem o apetite e restringirem os desejos. E tornam-se egoístas, exigentes, desobedientes, ingratos e profanos. As mães que perpetram esta obra ceifarão com amargura os frutos da sementeira que lançaram. Pecaram contra o Céu e contra os filhos, e Deus as terá como responsáveis. Testimonies, vol. 3, pág. 141.” (Textos tirados do livro Conselho Sobre o Regime Alimentar.Pág:237,238.)

    Shalom…


  9. Ótimo Karyne amei o texto é verdade as mulheres tem perdido os princípios que Deus deseja para ela, precisamos fazer a vontade de Deus para sermos felizes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.