Carta de encorajamento

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

Hoje, na minha leitura da madrugada, li uma carta que Ellen White escreveu em 5 de Abril de 1873, encorajando uma amiga a permanecer firme na verdade. Transcrevo alguns fragmentos, a seguir, que servem para nós hoje assim como servia para a irmã a quem a carta foi destinada. Que essa carta encoraje a você e a mim, a permanecermos firmes na verdade! Amém!

“[…] Temos uma verdade preciosa, harmoniosa e santificadora. Nem sempre imaginamos que a santificação, que tão ansiosamente desejamos, e pela qual oramos com tanto fervor, é realizada por meio da verdade e, pela providência de Deus, pela maneira por que menos esperamos. Quando buscamos alegria, eis que vêm aflições. Quando esperamos paz, temos frequentemente desconfiança e dúvida, porque nos achamos imersos em provações que não temos como evitar. Nessas provações estamos recebendo a resposta a nossas orações. A fim de que sejamos purificados, o fogo da aflição deve arder sobre nós, e nossa vontade ser ajustada em conformidade com a de Deus. Para sermos moldados à imagem de nosso Salvador, passamos pelo mais penoso processo de refinamento. Mesmo aqueles que consideramos os mais queridos na Terra podem causar-nos o maior sofrimento e prova. Podem ver-nos por uma perspectiva errada. Podem julgar que estejamos em erro e que estamos nos enganando e nos degradando ao seguir os ditames da consciência iluminada em busca da verdade como de tesouros ocultos.

O caráter e o controle da vida de um cristão acham-se em significativo contraste com o dos mundanos. O cristão não pode encontrar prazer nos divertimentos e nas várias cenas de vulgar alegria do mundo. Mais altas e santas atrações lhe prendem o afeto. Os cristãos mostrarão que são amigos de Deus mediante sua obediência.

Nossa orações para nos tornarmos semelhantes a Cristo podem não ser respondidas exatamente como desejamos. Podemos ser testados e provados, pois Deus percebe ser melhor colocar-nos sob um curso de disciplina que nos é essencial antes que sejamos considerados súditos habilitados para as bençãos que ansiamos. Não deveríamos nos tornar desanimados e dar lugar à dúvida, e pensar que nossas orações não são notadas. Devemos nos firmar seguramente sobre Cristo e deixar nosso caso com Deus para responder nossas orações a Seu próprio modo. Deus não prometeu conceder Suas bençãos através dos canais que temos assinalado. Deus é sábio demais para errar e cuidadoso demais com o nosso bem para permitir-nos escolher por nós mesmos.

Os planos de Deus são sempre os melhores, se bem que nem sempre os possamos discernir. A perfeição do caráter cristão só pode ser obtida mediante esforços, conflitos, abnegação. Não contamos sempre com isso, e não consideramos necessário o penoso e muitas vezes dilatado processo de purificação, para que nos conformemos à imagem de Cristo. Deus atende com frequência nossas orações da maneira pela qual menos esperamos. Leva-nos a situações as mais difíceis, para revelar o que está no coração. Para levar avante o desenvolvimento das graças cristãs, Ele nos colocará em circunstâncias que exigirão mais esforço de nossa parte a fim de manter a fé ema tivo exercício.

Conservemos em mente quão inestimavelmente preciosos são os dons de Deus – as graças de Seu Espírito – e não recuaremos do difícil processo, por mais penoso e humilhante que nos seja. Quão fácil seria o caminho para o Céu se não houvesse nada de abnegação ou de cruz! […]

[…]

[…] A consciência de sermos realemnte servos de Cristo dará mais elevado teor de caráter a nossos deveres de cada dia: sempre alegres, pacientes, longânimos e gentis. Cristo diz: “tenho ainda muito que vos dizer, mas vós não o podeis suportar agora” (João 16:12). […]

Se você, minha querida irmã, é vista como sendo firme nos princípios, destemida no dever, zelosa em buscar exemplificar a Cristo em seu labor diário, mas é humilde, modesta, gentil e terna, paciente e perdoadora, pronta a sofrer e a perdoar ofensas, será uma carta viva, conhecida e lida por todos. […]

Cristo nos comprou por alto preço, e ainda assim nos recompensará o serviço feito a Ele. […] Mas a recompensa não será na proporção exata da quantidade de trabalho feito, porém de acordo com o motivo e o amor que motivaram a realização do trabalho. A recompensa será em termos de graça. Sua abundante misericórdia será manifesta não porque tenhamos feito algo digno, mas por conta de Seu imensurável amor. […] Cristo não coloca sobre seus servos uma carga maior do que a força que lhes concede para levá-la. Não os abandonará na adversidade. Quando o coração e a carne falham, Ele será a força do seu coração e a sua porção para sempre.” Filhas de Deus, p. 185-187.

7 Comentários


  1. Há quem divide, infelizmente que essa grande mulher foi usada por Deus, depois de uma carta dessas, qm duvida?


  2. Que benção! falou tão fundo no meu coração!!! obrigada por partilhar amiga…


  3. Amei esta mensagem de fé, esperança e alento. Os tempos não fáceis e ser realmente cristão fica cada vez mais difícil. Obrigada por partilhar mensagem de fé e confiança em Deus. Um abraço


  4. É diante das dificuldades que nos fortalecemos, pois se buscarmos encontraremos o apoio de nosso PAI CELESTE. Deixemos que Ele nos guie, confiando em seu AMOR E MISERICORDIA.


  5. Que a paz de nosso Senhor Jesus Cristo esteja conosco e que Seu amor seja vivo em nossas vidas.
    Quem é o Bom Pastor que dá a vida pelas suas ovelhas? Mesmo às mais teimosas que inúmeras vezes fogem do seu redil? O Bom Pastor é aquele que segue seus rastros por veredas tortuosas, abismos e tempestades; lançando-se à frente de lobos para salvá-las a qualquer preço, ainda que lhe custe a vida, pois sabe o quão preciosas elas são.
    Não importa se uma delas é defeituosa ( quem sabe uma pata quebrada pelos tropeços da vida; ou cega, por ter andado em trevas ), o Bom Pastor vai ao seu encalço e a traz de volta com o mesmo amor para o rebanho; cuida de suas feridas, sacia-lhe a sede e a fome, fortalecendo-a para prosseguir ao seu objetivo determinado.
    As suas ovelhas muitas vezes , ao longo do caminho, acabam dormindo, mas mesmo assim o Bom Pastor não dorme para que os lobos não as devorem (“NÃO DORMITA, NEM DORME O GUARDA DE ISRAEL” Salmos – 121:4. ).
    Com todo cuidado e carinho supre todas as suas carências, as conduz em pastos verdejantes, pelas àguas de descanso, aliviando assim os seus fardos.
    Mesmo que elas andem pelo vale da sombra da morte, não precisam temer, pois com sua vara afujenta toda a espécie de feras; com seu cajado guia-as e as consola.
    “Ai dos pastores que destroem e dispersam as ovelhas do Meu pasto ! – diz o senhor.
    Portanto, assim diz o Senhor, o Deus de Israel, contra os pastores que apascentam o meu povo: Vós dispersastes as minhas ovelhas, e as afugentastes, e delas não cuidastes; mas Eu cuidarei em vos castigar a maldade das vossas ações, diz o Senhor.
    Eu mesmo recolherei o restante das minhas ovelhas, de todas as terras para onde as tiver afugentado, e as farei voltar aos seus apriscos; serão fecundas e se multiplicarão.
    Levantarei sobre elas pastores que as apascentem, e elas jamais temerão, nem se espantarão; nem uma delas faltará, diz o Senhor.” Amém … – Jeremias – 23:1,4.
    “Porque Deus não tem dado espírito de covardia, mas de poder, de amor e de moderação.” 2-Timóteo – 1:7.
    “Cristo, o grande exemplo de todos os ministros, compara-Se a um pastor. Na parábola da ovelha perdida, o pastor sai em procura de uma ovelha- o mínimo que se pode numerar.Descobrindo que falta uma de suas ovelhas, não olha descuidadamente sobre o rebanho que se acha a salvo, no abrigo, dizendo: tenho noventa e nove e me será muito penoso ir em procura da extraviada.Que ela volte, e então lhe abrirei a porta do redil, e deixá-la-ei entrar. NÃO; assim que a ovelha se desgarra, o pastor enche-se de pesar e ansiedade. Deixando as noventa e nove no aprisco, sai em busca da extraviada. Seja embora a noite escura e tempestuosa, perigosos e incertos os caminhos,a busca longa e fastidiosa, ele não vacila enquanto a perdida não é encontrada.
    Com que sentimento de alívio escuta Ele ao longe seu primeiro e débil balido ! Seguindo o som, sobe às mais íngremes alturas ; chega mesmo à borda do precipício, com risco da própria vida. Assim busca Ele, enquanto o balido, cada vez mais débil, lhe mostra que sua ovelhinha está prestes a morrer.
    E ao achar a perdida, acaso lhe manda Ele que o siga? Ameaça-a, porventura, ou a espanca, ou a vai tangendo adiante de si, pensando nos incômodos e ansiedades que por ela sofreu? Não; põe aos ombros a exausta ovelha e, cheio de feliz reconhecimento porque sua busca não foi em vão, volta ao redil. Sua gratidão exprime-se em hinos de regozijo. E, chegando a casa, convoca os amigos e vizinhos, dizendo-lhes : Alegrai-vos comigo, porque já achei a minha ovelha perdida.
    O grande Pastor tem subpastores, aos quais delega o cuidado das ovelhas e cordeiros. A primeira obra que Cristo confiou a Pedro, ao restabelecê-lo no ministério, foi o de aspascentar as Suas ovelhas. S.João 21:15. Era esta uma obra em que Pedro tivera pouca experiência. Exigiria grande cuidado e ternura, muita paciência e perseverança…
    A pergunta feita por Cristo a Pedro era significativa. Mencionou apenas uma condição para o discipulado e o serviço. “ Amas-Me?” disse Ele. Eis o requisito essencial. Embora Pedro possuísse todos os outros, sem o Amor de Cristo não poderia ser um fiel pastor do rebanho do Senhor. Conhecimentos,benevolência, eloquência, gratidão e zêlo, são todos auxiliares na boa obra; mas sem o Amor de Cristo no coração, a obra do ministro cristão se demonstrará um fracasso.” Ellen G. White- Obreiros Evangélicos. Pág. – 181 a 183.
    Não basta somente vigiarmos a porta da frente da igreja para conseguirmos trazer mais e mais ovelhas novas ao redil, somente isso não basta; temos que as sustentar e suprir as necessidades dela, seja física ou emocional se assim não fizermos, estaremos esquecendo da porta do fundo por onde milhares de ovelhas estão saindo…
    “Vós, pois, ó ovelhas minhas,ovelhas do meu pasto; homens sois,mas Eu sou o vosso Deus, diz o Senhor Deus.” Ezequiel – 34:31.
    “Jamais terão fome, nunca mais terão sede,não cairá sobre elas o sol, nem ardor algum,pois o Cordeiro que se encontra no meio do trono os apascentará e os guiará para as fontes das águas da vida. E Deus lhes enxugará dos olhos toda lágrima.” Apocalipse – 7:16,17.
    “Porque o Senhor repreende a quem ama.” Provérbios – 3:12.
    “Confia no Senhor de todo o teu coração e não te estribes no teu próprio entendimento. Reconhece-o em todos os teus caminhos, e Ele endireitará as tuas veredas…”Provérbio – 3:5,6.

    –. Antonio Shalon…


  6. É!Realmente os textos da escritora Ellen White nos fala direto ao coração e sabe nos advertir com brandura.Isso é
    o que vale!


  7. È muito bom ouvir essas palavras obrigada por compartilhar que Deus a abençoe.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.