Eclipse

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

“Há caminhos que parecem direito ao homem, mas o seu fim são caminhos de morte.” (Provérbios 16:25)

Quantas vezes você tem tateado o escuro,
percorrido labirintos;
caminhos assim, pouco iluminados?
De quando em quando,
velas na noite
em favor dos mortos, espantando fantasmas …

Quantas vezes você depara-se
com teias,
os porões da mente astuta
criando ilusões?

Quantas vezes você tem alimentado ídolos,
falsos deuses adorado?
Quantas vezes você tem atado nós ao redor de si
em defesa do mundo lá fora?
E o peito opresso, ao invés de corajoso,
fica encarcerado, frágil a tudo;
sem poder partilhar?

Telhas desabam.
O teto fica aberto pras chuvas frias.
Lâminas golpeiam o seu coração!

Então, pare!
Olhe para além do teto,
além da chuva
e do eclipse – tudo passa.
Num outro dia, o arco-íris.

Olhe para Aquele que o criou e diz a você:

“Desfaço as tuas transgressões como a névoa e os teus pecados,como a
nuvem; torna-te para mim,porque eu te remi.
Eu sou o Senhor, que faço todas as coisas, que sozinho estendi os céus e sozinho espraiei a Terra. Que desfaço os sinais dos profetizadores de mentiras e enlouqueço os adivinhos; que faço tornar atrás os sábios, cujo saber converto em loucuras; que confirmo a palavra do meu servo e cumpro o conselho
dos meus mensageiros; que digo a Jerusalém: Ela será habitada; e das
cidades de Judá: Elas serão edificadas; e quanto às suas ruínas: Eu as levantarei.” (Isaías 44: 22-26)

Texto enviado por Selma de Lima Monteiro.

4 Comentários


  1. Que lindo poema Selma!

    E olha que legal, pois hoje também postei um testemunho da Selma lá no meu blog.

    Beijos a todos e fiquem na paz!


  2. Olá! Esse poema teve início muito antes de minha conversão, na verdade foi inspirado numa “instalação” de bambus q os alunos fizeram. A gente entrava dentro de um labirinto e no final encontrava tipo um totem (um rosto de madeira q os alunos fizeram);como sempre gostei da questão espiritual, completei a atividade deles c/ este poema. Só bem depois, viria o final, quando conheci nosso verdadeiro Deus. Hoje, mesmo estando na Igreja, procuro sempre estar em oração e fazer minha “hora tranquila”, pois sei o qto nossa mente é cheia de artimanhas e se a deixarmos ao léu, com certeza nossa comunicação será falha c/ Deus. Fica um abraço a todos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.