O Oscar ou o marido?

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

Todos os anos, a indústria do cinema promove uma premiação de melhores filmes, trilhas sonoras, atores, etc.. conhecido como Oscar. Esse ano, quando estávamos próximos da realização desse evento, uma notícia interessante foi divulgada:

“Pesquisa mostra que mulheres que ganham o prêmio de melhor atriz têm 68% mais chances de se divorcia após conquista” IstoÉ

A média de anos de casamento encontrada foi de 9,6 anos para as mulheres que eram indicadas ao Oscar de melhor atriz e 4,3 anos para as ganhadoras da categoria. Na mesma pesquisa foi verificado que essa probabilidade de divórcio não era semelhante para os homens que ganhavam o prêmio.

Como entender esse “fenômeno”? Duas teorias foram levantadas pelos pesquisadores para explicar:

1. Os homens ainda têm dificuldade de aceitar o sucesso e a fama de suas mulheres;

2. A mulher, com o “ego inflado” pelo prêmio, julga-se digna de um parceiro melhor, mais gabaritado que o atual. Ela muda seu comportamento, agindo como uma celebridade dentro da relação íntima e dificultando a convivência;

As duas teorias são plausíveis, ao meu ver, e não necessariamente contraditórias, pois podem ocorrer ao mesmo tempo, potencializando ainda mais a possibilidade de divórcio.

Cada vez mais as mulheres têm conquistado uma posição na sociedade bastante diferente da posição que ocupavam nas gerações passadas. Não podemos negar os benefícios de tais conquistas, mas também não podemos fechar os olhos para as consequências da imaturidade feminina para lidar com tanta liberdade e independência conquistada.

Em nome da liberdade e independência, muitas têm tornado seus relacionamentos amorosos um grande pesadelo. Aquelas que são mães, muitas vezes negligenciam esse papel tão importante conferido a elas por Deus, em nome do sucesso financeiro e social.

A posição de cabeça da família conferida por Deus ao homem passou a ser disputada, nos últimos anos, pelas mulheres. O pecado de Eva retorna em nova roupagem – ser um ser evoluído, superior, igual a Deus, podendo inclusive trocar os papéis que Ele mesmo nos deu.

Como nossas irmãs vêem tudo isso?

A ordem bíblica é: “Vós, mulheres, sujeitai-vos a vossos maridos, como ao Senhor; Porque o marido é a cabeça da mulher, como também Cristo é a cabeça da igreja, sendo ele próprio o salvador do corpo. De sorte que, assim como a igreja está sujeita a Cristo, assim também as mulheres sejam em tudo sujeitas a seus maridos.” Efésios 5:22-24

Muitas de nós, hoje ,vemos essa ordem como algo que nos oprime e reprime, algo que tira de nós a liberdade e a individualidade conquistadas. Grande engano! Por acaso Cristo oprime e reprime sua Igreja? Por acaso Cristo tira a liberdade de sua Igreja?

Ao contrário, Ele é quem dá liberdade, e como consequência dessa liberdade a Igreja tem a Cristo como cabeça. Como mulheres livres que somos hoje, temos um motivo a mais para termos nossos esposos como cabeça de nosso lar. Se meu esposo me ama como Cristo amou Sua Igreja, como posso eu querer usurpar seu papel em nosso lar?

Amigas, para muitos isso pode parecer machismo, mas quem vos escreve é mulher, jovem e independente. E sou muito feliz em saber que meu marido é o cabeça do meu lar! Casei aos 21 anos. Para muitos, uma loucura, tão jovem jogando fora a oportunidade de independência. Que engano! Sou casada com um homem que procura refletir diariamente o caráter de Cristo, e me tratar como Cristo trata Sua Igreja. Um homem que me concede liberdade para que eu seja a mulher independente que sou hoje, que me incentiva em minha carreira profissional, que é parceiro de verdade, que não se importa de me consultar para tomar decisões, etc..

Que independência é essa que o mundo prega? Carreira profissional, independência financeira, uma carteira de motorista, não ter que dar satisfações a ninguém… Tenho carreira profissional, meu próprio dinheiro, carteira de motorista, e não dependo de meu esposo para me levar onde quero ir ou comprar o que desejo. Ele não me pede satisfações do que faço, porque confia em mim, e eu faço questão de dar satisfações porque o respeito! Não somos a família perfeita, mas temos experimentado as bençãos de formar uma família segundo os desígnios divinos.

Será que vale a pena deixar tamanha felicidade em nome de uma falsa liberdade que trás solidão, dependência emocional e conflitos amorosos? Submissão ao marido não é para qualquer um! Submissão ao marido só pode ter quem é livre e independente para fazer essa escolha!

Esse é nosso último artigo da série que fizemos sobre relacionamento conjugal, neste mês de maio. Espero que você tenha encontrado em cada texto um segredo especial para tornar seu relacionamento conjugal uma benção!

Lembre-se: uma grande festa de casamento está para acontecer. As Bodas do Cordeiro estão próximas. Se quisermos levar nosso lar para o céu, precisamos viver hoje em nosso lar como Deus deseja que vivamos!

6 Comentários


  1. Karyne, perfeito este texto, aliás li todos deste mês e me ajudou muito a refletir sobre a vida a dois, você fechou com chave de ouro. Deus continue abençoando seu lar, sua vida!!!


  2. Adorei esse mes e todos os textos mas ese foi especial,foi dito tudo em que eu acredito e tenho lutado por isso e meu casamento tem sido a melhor realização da minha vida, porque tenho dividido ele com Deus.
    Parabéns Karyne por palavaras tão inspiradoras e sabias que seu lar continue uma benção.


  3. Karyne, essa série de textos foi muito importante.
    Gostei muito e a gente está sempre aprendendo uma coisa nova.
    Que o Senhor continue te abençoando e dando sabedoria para estares escrevendo tantas mensagens inspiradoras.
    Beijinhos.


  4. Karyne, se o homem é a cabeça do casal, qual parte da anatomia é designada à mulher?

    Se não estiver na Bíblia, qual é a parte que você acha melhor nos representar?


  5. Ei Vanessa, achei engraçada sua pergunta. Assim como a igreja, a família funciona como um corpo. O casal forma junto um só corpo do qual o Homem é o cabeça. Encontrar uma parte para representar a mulher? Complicado rs. Se dividirão o corpo em 2, qdo vierem os filhos termos q fatiar ainda mais o corpo? rs.

    Alguns brincam q a mulher é o pescoço. Eu prefiro acreditar no q simbolicamente te isso significa – o homem é o líder, como Jesus 🙂

    Vc é mão, pé, olho, … ou nariz em sua igreja? Não faz diferença. Com essa analogia bíblica vc só precisa entender q faz parte do corpo!!

    Abraços

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.