Trombetas, sangue, nuvem e fogo – Lição 4

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

tabernaculo_de_moisesTodos os anos, nossa sociedade capitalista se prepara para alguns eventos econômicamente favoráveis, como o Natal e a Páscoa. E, de forma muito natural, boa parte das pessoas que comemoram esses dias trocando presentes se esquecem do real sentido destes dias. Conhecemos bem a História do povo de Israel. Quando Moisés foi ao Egito libertar o povo segundo a ordem de Deus, ocorreram uma série de pragas nas terras do Egito, sendo que a última delas foi bastante significativa – a morte dos primogênitos (Êxodo 11). Alguns séculos depois, o primogênito de Deus, Jesus Cristo, nosso Salvador, seria morto também! A cerimônia da Páscoa, instituída por Deus no deserto, apontava tanto para a libertação do povo, que se seguiu às pragas do Egito, quanto para a libertação da humanidade da escravidão do pecado, através da morte do cordeiro (Mateus 1:21).

Enquanto o povo, liberto da escravidão que vivia no Egito, andava pelo deserto, Deus fez questão de o acompanhar e guiar em sua caminhada. A presença de Deus pode ser percebida claramente em 3 situações ali: 1) O Santuário (assunto já estudado anteriormente); 2) A Nuvem durante o dia; 3) A Coluna de Fogo durante a noite. Deus se preocupa de forma tremenda conosco. Quando ele nos liberta, ele não nos deixa desamparados. Deus nos liberta para que possamos desfrutar plenamente dessa liberdade, e para que isso ocorra Ele nos acompanha e nos dá direcionamento. O povo, no deserto, podia sentir o cuidado constante de Deus através de sua guia. Será que temos percebido hoje a presença de Deus nos dizendo para onde ir?

Em Números 10: 1-10, lemos a respeito das trombetas que Deus designou que fossem tocadas. Aquelas trombetas serviam de sinal para o povo. O som delas comunicava uma mensagem específica, uma ordem de Deus. Tem Deus designado trombetas para os nossos dias? Que tipo de trombetas são tocadas hoje? Temos conseguido distinguir claramente as ordens que ecoam dessas trombetas? E nós, enquanto mensageiros, temos tocado a trombeta como deveríamos?

“Há necessidade hoje da voz de severa repreensão, pois graves pecados têm separado de Deus o povo. A infidelidade está depressa tornando-se moda. “Não queremos que Este reine sobre nós” (Luc. 19:14), é a linguagem de milhares. Os sermões macios tão freqüentemente pregados não deixam impressão duradoura; a trombeta não dá um sonido certo. Os homens não são atingidos no coração pelas claras, cortantes verdades da Palavra de Deus.” Profetas e Reis, pág 140.

Que Deus nos ajude a ouví-lo mais e a percebermos com clareza a Sua vontade para nossas vidas. Que o sacrifício de Jesus, de fato, nos liberte da escravidão que o pecado nos trás, e que libertos sigamos ao único guia no qual podemos confiar!

Deus nos abençoe!

Feliz Sábado!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.